Buscar esboços

Nossos Esboços

CPAD Jovens – 3º Trimestre de 2017 – 20/08/2017 – Lição 8: Depressão, um mal do nosso tempo

15/08/2017

Este post é assinado por: Rafael Cruz

TEXTO DO DIA

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente na angústia.”
(Salmos 46.1)

TEXTO BÍBLICO

1 Reis 19.1-11
1 E Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como totalmente matara todos os profetas à espada.

2 Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses e outro tanto, se decerto amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles.
3 O que vendo ele, se levantou, e, para escapar com vida, se foi, e veio a Berseba, que é de Judá, e deixou ali o seu moço.
4 E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já basta, ó SENHOR; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.
5 E deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro; e eis que, então, um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come.
6 E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.
7 E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque mui comprido te será o caminho.
8 Levantou-se, pois, e comeu, e bebeu, e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.
9 E ali entrou numa caverna e passou ali a noite; e eis que a palavra do SENHOR veio a ele e lhe disse: Que fazes aqui, Elias?
10 E ele disse: Tenho sido muito zeloso pelo SENHOR, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram o teu concerto, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e buscam a minha vida para ma tirarem.
11 E ele lhe disse: Sai para fora e põe-te neste monte perante a face do SENHOR. E eis que passava o SENHOR, como também um grande e forte vento, que fendia os montes e quebrava as penhas diante da face do SENHOR; porém o SENHOR não estava no vento; e, depois do vento, um terremoto; também o SENHOR não estava no terremoto;

INTRODUÇÃO

Talvez possamos imaginar o porquê de o tema dessa lição ser ‘Depressão’, sendo que o tema do trimestre é ‘Tempo para todas as coisas’. Acontece que a depressão é uma das consequências pelo modo de vida que optamos por ter.

Por diversas vezes, ela vem logo após uma frustração muito grande. Planejamos, fazemos nossos projetos, mas no fim: nada dá certo. Aí vem a frustração de que tudo o que fizemos foi um tempo perdido e logo em seguida, a depressão.

Mas, crente fica com depressão?

Antes de responder a essa pergunta, vamos afirmar que: o ser humano tem depressão. Por se tratar de uma doença, vamos lembrar de algumas outras que assolaram a humanidade no decorrer da história:

  • Varíola: É considerada uma das primeiras doenças conhecidas pela humanidade. Estudos indicam sua presença em humanos há cerca de 12 mil anos e no faraó Ramsés 5º (f). Ficou ainda mais perigosa com a urbanização: no século 18, matou 400 mil europeus; e no século 20, 300 a 500 milhões no mundo todo.
  • Gripe: A gripe matou e continua a matar muita gente, apesar das vacinas. O vírus já foi responsável por várias epidemias ao longo da história, sendo a mais grave a da “gripe espanhola”, com 50 a 100 milhões de mortes entre 1918 e 1919.
  • Peste Negra: Uma das doenças mais mortais da humanidade, transmitida por roedores. Acredita-se que a devastadora pandemia da Idade Média matou de 75 a 100 milhões de pessoas.
  • Tuberculose: O maior surto ocorreu nos séculos 19 e 20, quando até 25% das mortes na Europa eram por causa da doença. Em 2014, 1,1 milhão de pessoas morreram em países subdesenvolvidos.
  • AIDS: Desde o início da epidemia, na década de 80, 35 milhões de pessoas morreram por causa do HIV.
  • TIFO: Na Grécia antiga, matou até 100 mil pessoas em Atenas. No século 17, 10% da população da Alemanha morreu em um surto. Já no século 19 matou na Irlanda na casa de centenas de milhares em um curto período de tempo. No século 20, atingiu a Rússia e deixou 3 milhões de mortos durante a Guerra Civil.
  • Sarampo: Ainda é muito relevante e já causou 200 milhões de mortes entre 1855 e 2005.

Todas essas doenças que assolaram a humanidade, com certeza também afetaram os crentes. Dessa forma podemos dizer que: Sim! O crente pode ter depressão. Isso porque a depressão é um mal do nosso tempo que infelizmente tem matado a muitos.

Acontece que não deve ser algo comum vermos crentes depressivos. A depressão deve ser algo excepcional na vida do crente. Veremos ao longo da lição exemplos de pessoas na Bíblia que sofreram esse mal, mas que com a graça de Deus, acreditaram no recomeço de suas vidas e realizaram grandes obras. 

I – A DOR INVISÍVEL

1. O que é a depressão?

Muitos pensam que a depressão é uma doença que se iguala a outros aspectos da mente humana como tristeza, desânimo e mau humor, mas a medicina nos diz que a depressão é um distúrbio mental caracterizado pela perda de interesse em atividades ou por uma tristeza intensa e de longa duração.

Tristeza, desânimo e mau humor são sentimentos que surgem quando passamos por alguns momentos difíceis em nossa vida. Todos eles podem ser contornados e sem muita demora, eles já passaram. Quando se tem depressão esses sentimentos se tornam mais intensos e demorados, deixando a pessoa em um estado de profundo vazio e comportamento destrutivos.

Já se sabe que a depressão em alguns casos ocorre devido a fatores genéticos, mas existem outras causas onde a doença se manifesta:

  • Experiências estressantes (físicas ou emocionais)
  • Trauma ou abuso na primeira infância
  • Abuso de álcool ou drogas
  • Problemas de saúde ou dores crônicas
  • Deficiência de neurotransmissores
  • Alterações na estrutura do cérebro
  • Doenças cerebrais

2. Alguns sintomas

A pessoa com depressão, pode apresentar qualquer um dos sintomas abaixo:

  • Desamparo e falta de esperança perante a vida
  • Perda de interesse em atividades que antes eram agradáveis
  • Perda da capacidade de sentir alegria ou prazer
  • Aumento ou redução do apetite
  • Alterações no peso
  • Raiva, inquietação e irritabilidade
  • Fadiga constante
  • Autocrítica exagerada
  • Comportamentos imprudentes ou destrutivos

É bom destacarmos aqui que a maioria desses sintomas, Elias teve ao ser perseguido por Jezabel:

“Ele, porém, foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais”. 1 Reis 19.4 – Desamparo e falta de esperança pela vida, perda de interesse em atividades que antes eram agradáveis, perda da capacidade de sentir alegria ou prazer.

“E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se”. 1 Reis 19.6 – Aumento ou redução do apetite, fadiga constante

E não foi só Elias que sofreu com esse mal, Moisés vendo o povo reclamando pediu a morte ao Senhor, por estar cansado em carregar todo aquele peso ‘nas costas’.

“Eu só não posso levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim. E se assim fazes comigo, matame, peço-te, se tenho achado graça aos teus olhos, e não me deixes ver o meu mal”. Números 11:14,15

Temos também Asafe. Um maestro na casa do Senhor que em seu salmo 73 abre seu coração para nos mostrar como chegou a uma depressão com um coração tremendamente amargurado, com dores no corpo e na alma (v. 21), e como ele quase abandonou a fé por conta dessa depressão (v. 2).

“Vejam como os perversos desfrutam uma vida tranquila, enquanto suas riquezas se multiplicam. Foi à toa que mantive o coração puro? Foi em vão que agi de modo íntegro? O dia todo só enfrento problemas; cada manhã sou castigado”.  Salmos 73.12—14 (NVT)

Essa depressão durou até que Asafe entrou na presença de Deus e entendeu que essa prosperidade, que vem da desonestidade, é um piso escorregadio cujo fim será de dor e grande destruição (v. 18). Estes que hoje sorriem e nadam em corrupção serão, em breve, “totalmente aniquilados de terror” (v. 19). Sua alegria é passageira. Sua prosperidade também.

“Quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti.
A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre”. Salmos 73:25,26

3. Tratamento

Assim como qualquer doença, a depressão pode ser tratada através de remédios. Se alguém aparece com gripe, nos indicamos um remédio, mas se aparece com depressão, aí é falta de fé? Não é assim que devemos tratar a depressão.

Em teologia temos a matéria Antropologia (estudo do homem), onde vemos a estrutura que possuímos: corpo, alma e espírito. É claro que existem dois movimentos a respeito dessa estrutura: Tricotomia e Dicotomia. Quanto a esse assunto ficamos com os comentários de Myer Pearlman:

Ambas as opiniões são corretas quando bem compreendidas. O espírito e a alma representam os dois lados da substância não física do homem; ou, em outras palavras, o espirito e a alma representam os dois lados da natureza espiritual. Embora distintos, o espirito e alma são inseparáveis, são entrosados um no outro”.

 Então quando entendemos essa estrutura do corpo (matéria e espírito), se tratamos a matéria, por que não tratar o espiritual? Quando nosso corpo está doente, ainda que seja um resfriado, frequentemente nossa vida espiritual também é afetada. Quando nossa vida espiritual está doente, nossos pensamentos e sentimentos também são afetados e as vezes nossa saúde também. Dessa forma vemos que quando estamos com nosso emocional / espiritual abalado, existem consequências físicas que nos atrapalham a realizar tarefas simples do nosso dia a dia. Um crente deprimido não consegue se concentrar para ler a Bíblia, para orar, não consegue ter comunhão com os irmãos e por diversas vezes pensa que Deus o abandonou.

Temos que ter em mente que Deus derramou da sua graça comum a todos, dessa forma possuímos médicos e pessoas responsáveis para medicar e tratar cada doença. Vemos na Bíblia que o próprio Jesus disse que os doentes precisam de médicos:

“Jesus lhes respondeu: As pessoas saudáveis não precisam de médico, mas sim os doentes”. Lucas 5.31

Mas não é por causa desse versículo que devemos colocar toda a nossa confiança nos médicos e remédios. Temos que ter o bom senso em toda situação. Se pegamos uma gripe, para que ela não piore já tomamos um remédio. Caso contrário (não tomarmos nenhum medicamento e ficar apenas na oração), essa gripe pode virar uma sinusite, pneumonia, bronquite aguda, etc. O ideal é buscarmos a cura em Deus, e tomarmos os remédios necessários.

“E, no ano trinta e nove do seu reinado, Asa caiu doente de seus pés, a sua doença era em extremo grave; contudo, na sua enfermidade, não buscou ao Senhor, mas antes os médicos”. 2 Crônicas 16.12

II – A PSICOTERAPIA DE DEUS

1. Fortalecimento do corpo

Com a depressão a pessoa pode perder anos saudáveis de sua vida porque perde a vontade de trabalhar, socializar e ter uma rotina normal. Além de prejudicar o dia a dia e fazer a pessoa se isolar, a depressão pode causar também perda de apetite, dificuldade para realizar tarefas cotidianas, sentimentos de impotência e culpa e, em casos mais graves, até mesmo pensamentos e tentativas de suicídio. Com o corpo fraco é necessário então, fortalece-lo.

Umas das primeiras coisas que Deus fala ao profeta Elias (e ainda por duas vezes) é que ele se levantasse e comesse. Não dá para vencer a depressão com um corpo fraco e desnutrido. Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern, a falta de nutrientes, como ferro, vitamina B 12 e vitamina D, e doenças como hipotireoidismo e anemia são alguns dos fatores que podem afetar o cérebro.

“Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena”. Provérbios 24.10

2. Verbalização do problema

Mesmo Deus sabendo dos nossos desejos e das nossas situações, é necessário que coloquemos diante dele os nossos problemas. Não foi só para Elias que o Senhor Deus, mesmo conhecedor de todas as coisas, perguntou a Elias o que ele fazia ali. Veja a cura do cego, onde Jesus perguntou a ele:

“E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista”. Marcos 10:51

Jesus sabia da condição daquele homem, e mesmo assim perguntou o que ele queria. Perguntar para um cego o que ele gostaria que se fizesse a seu favor seria perguntar o óbvio, não acha? Para Jesus, não. Ele respeita a nossa vontade. Ele respeita os nossos pedidos. Ele não nos violenta.

A verbalização do problema nos traz grandes vantagens. Quando nos prostramos diante do Pai em oração e falamos aquilo que precisamos, que estamos sentido, que estamos passando, Jesus nos garante:

“E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis”. Mateus 21.22

E por muitas vezes, como não sabemos pedir ou colocar diante dele os nossos problemas, não recebemos aquilo que pedimos, pois:

“Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”. Tiago 4.3

Saibamos colocar diante de Deus os nossos problemas e situações, para que assim possamos ter nossas orações respondidas com aquilo que pedimos.

3. Vida com propósito

Um dos sintomas que vimos é que a pessoa depressiva não tem esperança na vida, não tem nenhum motivo ou propósito para viver. Elias pediu a morte. Moisés também. Costumo dizer em sala de aula que Deus não chamou ninguém para ‘sentar no quinto banco, da terceira coluna, na ponta esquerda’, ou apenas que Deus chamou para ‘esquentar o banco’. Todos nós temos algo a fazer para o Reino de Deus.

Toda nossa vida tem um propósito. O propósito de sua vida é muito maior que sua realização pessoal, sua paz de espírito ou mesmo sua felicidade. Rick Warren em seu livro ‘Uma vida com propósito’ ele nos diz:

“Você só existe porque Deus deseja que você exista. Você foi feito por Deus e para Deus — e, enquanto não compreender isso, a vida jamais terá sentido. É somente em Deus que descobrimos nossa origem, nossa identidade, o que significamos, nosso propósito, nossa importância e nosso destino. Todos os outros caminhos levam a um beco sem saída”.

III – O QUE PODE NOS AJUDAR A EVITAR A DEPRESSÃO

1. Conhecer a Deus

Batemos sempre na mesma tecla: Deus nos chama para um relacionamento íntimo com ele. Conhecer a Deus é estar próximo dele. Vamos lembrar de Jó.

Jó era um homem reto, justo e integro perante Deus. Mas uma coisa lhe faltava: relacionamento com o Pai. Ele precisava conhecer o Deus que servia. Com isso, Deus permitiu que Satanás pudesse tirar tudo o que ele tinha, menos a sua vida.

Durante os momentos que passou por essa grande prova, Jó, por diversas vezes, não entendeu o motivo de tudo aquilo, e até chegou a amaldiçoar o dia do seu nascimento:

Pereça o dia em que nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem! Converta-se aquele dia em trevas; e Deus, lá de cima, não tenha cuidado dele, nem resplandeça sobre ele a luz”. Jó 3:3,4

“A minha alma tem tédio da minha vida; darei livre curso à minha queixa, falarei na amargura da minha alma. Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo”. Jó 10:1,2

Durante todo esse período, Deus ficou calado. Nada falava a Jó.

Jó pacientemente esperou no Senhor e mesmo sem compreender aceitou a vontade de Deus em sua vida. O resultado disso tudo:

“Antes, eu só te conhecia de ouvir falar; agora, eu te vi com meus próprios olhos”. Jó 42.5 (NVT)

Jó passou a conhecer a Deus. As dificuldades e problemas vão surgir nas nossas vidas, mas devemos ter a paciência que Jó teve para que assim possamos compreender qual é a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

2. Ler a Palavra de Deus

“Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”. Efésios 6.17

Paulo em sua carta a igreja de Éfeso, orienta os crentes quanto ao revestimento que eles deveriam ter em suas vidas. Uma parte dessa armadura é a espada, simbolizada aqui pela palavra de Deus. A espada no texto de Efésios é a única arma ofensiva mencionada.

Através dela, vencemos todas as tentações que o maligno coloca diante de nós. A Palavra de Deus é o que nos alimenta, nos fortalece e nos encoraja a prosseguir.

A depressão faz com que tenhamos pensamentos ruins, mas é tendo foco na palavra de Deus que pensaremos em coisas boas e venceremos a depressão.

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”. Filipenses 4.8

3. Viver em comunhão fraternal

A pessoa com depressão tende a se isolar das demais. Essa atitude tende apenas a piorar o quadro clinico em que a pessoa se encontra. A depressão pode ser vencida na convivência com outras pessoas.

O salmista já nos disse:

“Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”. Salmos 133.1

O escritor Bob Kauflin nos diz que:

“Devemos ser capazes de encorajarmos uns aos outros no Senhor através do estudo bíblico, oração e louvor. Mas Deus também ordena que o fortalecimento venha através de outras pessoas. “Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós” (1 Coríntios 12:21). Ninguém tem todos os dons. Deus não pode edificar-me através de dons como a pregação, o encorajamento, a compaixão, a liderança e a fé a menos que eu esteja em comunhão com os irmãos para experimentar esses dons”.

A Bíblia nos diz para sermos cheios de alegria e louvor (Filipenses 4:4; Romanos 15:11), então Deus quer que todos nós vivamos vidas alegres. Isso não é fácil para alguém sofrendo de uma depressão causada por alguma situação, mas pode ser remediado através dos dons de Deus de oração, estudo e aplicação da Bíblia, grupos de apoio, grupos domésticos, comunhão entre os crentes, confissão, perdão e aconselhamento.

Deus lhe abençoe!

Por Rafael Cruz 


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada