Ensinando e fazendo Missões

Buscar esboços

Nossos Esboços

CPAD Jovens – 3º Trimestre de 2017 – 17/09/2017 – Lição 12: Milagres do nosso tempo

14/09/2017

Este post é assinado por: Rafael Cruz

TEXTO DO DIA

“Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente.”
 (Hebreus 13.8) 

TEXTO BÍBLICO

Lucas 1.26,27, 29-31, 34,35, 37,38.
26 E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré,

27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.
29 E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras e considerava que saudação seria esta.
30 Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus,
31 E eis que em teu ventre conceberás, e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
34 E disse Maria ao anjo: Como se fará isso, visto que não conheço varão?
35 E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
37 Porque para Deus nada é impossível.
38 Disse, então, Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

INTRODUÇÃO

“Jesus, porém, olhando para eles, disse: Para os homens é impossível, mas não para Deus, porque para Deus todas as coisas são possíveis”. Marcos 10:27

Atualmente combatemos muito com seitas e heresias que negam a existência de Deus ou até que pregam que Deus não interfere ou participa da sua criação (Deísmo).

Quando vemos o agir de Deus pela história da humanidade, notamos inúmeras vezes a sua intervenção para mudar uma situação que parecia impossível aos olhos do homem. Baseado nisso podemos citar a imanência e transcendência de Deus.

Usamos a expressão de que Deus é transcendente quando expressamos a superioridade dEle em relação a sua criação. Isso significa que Deus está muito “acima” da criação no sentido de que é maior que ela, e independente dela. Na teologia sistemática, transcendente é o termo que expressa a superioridade de Deus para com Sua criação, mas não uma superioridade mensurável. Se simplesmente dissermos que Deus é superior a criação, dá o entendimento que temos como medir isso, onde na verdade, essa diferença é incomensurável! Ele é infinitamente soberano, supremo, superior, transcendente.

Agora, não é porque ele é infinitamente superior à sua criação que Ele não participa dela, pelo contrário, Deus se envolve com sua criação. O Criador não depende da sua criação para existir, contudo, a criação depende do Criador para existir e continuar em funcionamento. A essa relação do Criador com sua criação, é chamado de imanência.

Esse envolvimento do Criador com sua criação, não sugere uma ‘intromissão’ dEle em nossa vida particular ou tirar o nosso livre arbítrio, mas simplesmente nos mantém vivos, com nossos próprios gostos, características e escolhas.

 É justamente nessa relação que os milagres acontecem: A imanência de Deus prova o seu cuidado pessoal para com sua criação e o seu amor com cada um de nós.

“Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”. Filipenses 2:6-8                                                                            

I – MILAGRE: A INVASÃO DO SOBRENATURAL

1. Possibilidade universal

Para podermos iniciar a definição de milagre temos que lembrar do versículo colocado no início desse comentário: ‘para Deus todas as coisas são possíveis’. Tendo como base que todas as coisas são possíveis para Deus, não podemos então ‘limitar’ o seu poder para as regras naturais que conhecemos.

O grande problema é que muitas pessoas se fecham em seus pensamentos e raciocínios, colocando então em dúvidas ou questionamentos, quanto aos milagres realizados por Deus. Essas pessoas simplesmente não acreditam nos milagres, só porque eles não podem ser explicados cientificamente.

“Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus”. 1 Coríntios 2.11

É nesse pensamento que devemos ver o milagre: tudo é possível!

Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente”. Hebreus 11:3

2. Evidência histórica dos milagres

Evidências históricas existem para comprovar todos os milagres que Deus já realizou entre nós; mas os cientistas tentam de tudo para dizer o contrário.

Vamos ver o relato do doutor e PhD em física e professor na Universidade de Cambridge, Colin Humphreys, escrito em seu livro “O milagre do Êxodo”, sobre as 10 pragas do Egito:

As pragas não passaram de uma sequência de acontecimentos naturais, que começa com um surto de algas tóxicas que cresceram no antigo delta do rio Nilo matando peixes e dando à água um aspecto avermelhado e um cheiro insuportável. Por isso, rãs e sapos teriam fugido de seu habitat natural para a vila, gerando a segunda praga. Em seguida, sem predadores – já que os sapos estavam morrendo – moscas começaram a invadir as casas e estábulos, transmitindo doenças que mataram o rebanho – quarta e quinta pragas. A sexta peste citada pelo Êxodo, as bolhas e os ferimentos que surgiram na pele das pessoas, também teria sido causada por doenças transmitidas pelas moscas.

A chuva de granizo de proporções catastróficas seria, da mesma forma, um evento natural, pura coincidência. Com o solo molhado, gafanhotos encontravam terreno ideal para depositar ovos, o que leva à oitava praga. Com o vento vindo do leste em direção ao Egito, os gafanhotos naturalmente seguiram aquela direção, apavorando os egípcios.

Como explicação para a nona praga, acredita-se em uma densa tempestade de areia, o que seria comum naquela época do ano, próxima ao mês de março. A derradeira praga, que convenceria o poderoso faraó a abrir mão de seus escravos por alguns dias foi também a mais cruel. Todos os filhos primogênitos das famílias egípcias – inclusive do faraó – morreram. Da mesma forma, todos os primogênitos dos animais de corte também. Com o granizo, os alimentos tenham ficado úmidos e gerado o nascimento de um microrganismo altamente tóxico. Como os filhos mais velhos eram privilegiados, foi destinada a eles mais comida – para o azar deles, aquela mesma que ficou envenenada depois da tempestade”.

Apesar de ele tentar encontrar explicação cientifica para todas elas, Humphreys acaba dizendo que essas ‘bem-aventuradas coincidências só podem ser obra divina, como uma sequência de dominós que só precisou de um peteleco de Deus para começar a cair’.

Por mais que procurem explicação cientifica, acabam vendo que tudo só poderia acontecer de uma forma tão correta, se fosse tudo uma providência divina!

“Tu és o Deus que realiza milagres; mostras o teu poder entre os povos”. Salmos 77:14

3. Definição – a invasão

Quando falamos e acreditamos em milagres, logo vemos que estamos ‘batendo de frente’ com o Deísmo, pois o milagre demonstra a intervenção divina na sua criação.

É definido como invasão, pois Deus entra no meio das regras naturais, faz uma exceção a essas regras, e ajusta aquilo que deve ser ajustado. Após esse ‘ajuste’ a vida segue normalmente sob todas a regras naturais já existentes.

Vamos lembrar aqui justamente da libertação do povo do Egito: Deus ‘invade’ as ordens naturais das coisas para mostrar a Faraó que Ele é o Senhor.

“Depois disse o SENHOR a Moisés: Vai a Faraó, porque tenho endurecido o seu coração, e o coração de seus servos, para fazer estes meus sinais no meio deles, e para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais, que tenho feito entre eles; para que saibais que eu sou o Senhor”. Êxodo 10:1,2

II – CRISTIANISMO: A HISTÓRIA DE UM GRANDE MILAGRE

1. O fenômeno milagroso na fé cristã

Acredito que pelo menos uma vez na vida, todos nós fomos um ‘Tomé’: precisamos ver para acreditar. Somente a palavra de Deus a nós já era necessária, mas mesmo assim, devido muitas vezes a nossa incredulidade, Deus vem intervindo no nosso meio e mostrando todos os seus milagres dia após dia.

Na época de Jesus podemos ver que os milagres faziam parte do seu dia e que eram muitos. O que vemos é Jesus realizando os milagres, por muitas vezes, apenas por compaixão para com o povo e não como uma forma de ‘marketing’ da sua obra salvadora.

“E, Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de íntima compaixão para com ela, curou os seus enfermos”. Mateus 14:14

O grande problema está justamente nas igrejas que visam somente os milagres que Deus pode fazer, fazendo disso um marketing para atrair mais fiéis. Devemos amar a Deus pelo que Ele é e pelo que já fez por nós. Deus não pode ser visto como uma ‘porta da esperança’ ou um ‘baú da felicidade’, onde só chegaremos a Ele com o único propósito de obter algo.

2. Encarnação – o principal milagre

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”. João 1:14

A encarnação de Cristo mostra a falência de todos os sistemas humanos, e é o maior ato de amor da parte de Deus para o com o ser humano.

O fato de Jesus encarnado (em carne) nos mostra algumas verdades:

  • Mostra a sua eternidade: João antes de dizer que Ele se encarnou afirma que Ele já existia desde a eternidade e foi o Criador de tudo o que existe. João 1.1,3
  • Mostra ao mundo quem é Deus: Quem quisesse conhecer a Deus O veria em Jesus. João 14.9
  • Mostra o seu supremo amor: Todo Seu ministério foi motivado por amor, foi por amor que Ele mesmo sabendo tudo o que ia acontecer consigo, aqui desceu e viveu Sua missão amando até o fim. João 13.1

“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Filipenses 2:5-8

O eterno entrou no tempo, o infinito tornou-se finito e o Deus eterno vestiu-se de pele humana e desceu até nós, para nos resgatar da escravidão do pecado.

3. Milagres que escravizam

Relacionamento baseado apenas em ‘presentes’ não tende a durar muito, pois o mesmo existe apenas porque um dá coisas para o outro. Se esses presentes acabam, o relacionamento também se finda.

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem”. João 4:23

Deus está à procura de pessoas que o adorem e não que o busquem apenas pelo que ele pode dar. Deus procura pessoas que queiram se relacionar com Ele por amor, sem interesse em ‘presentes’. Sobre isso podemos fazer uma analogia a um Pai e seu Filho: o Pai por muitas vezes ausente, para obter o amor de seu filho vive lhe dando presentes, dinheiro e outras coisas. O Filho tem que amar o Pai não pelo que ele pode dar, mas sim pelo que ele é: o seu Pai.

Como vimos, os milagres que Jesus fazia não era para o seu marketing pessoal, mas sim por amor e compaixão das pessoas. A Bíblia nos mostra que Jesus não força a presença de ninguém com ele, ou seja, oferece ‘presentes’ para que possamos amá-lo. Se decidirmos não amarmos a Deus só porque ele não nos dá ‘presentes’ que desejamos, os únicos perdedores seremos nós.

III – MILAGRE: O SIMBOLISMO DO PODER DE DEUS

1. Definição

Segundo o dicionário, milagre é: ato ou acontecimento fora do comum, inexplicável pelas leis naturais.

Por muitas vezes pensamos que o milagre efetuado por Deus em nossas vidas tem apenas o propósito de nos beneficiar por mérito ou pela nossa fé, quando na verdade o milagre deve ser entendido como um vislumbre da glória de Deus!

Pelo dicionário bíblico universal, de Buckland, os milagres de Jesus Cristo devem ser compreendidos segundo a Sua messiânica obra, e acomodados aos interesses do reino de Deus. Nenhum milagre, seja qual for o seu caráter, pode ser considerado como mera manifestação do poder, mas todos, naturalmente, ocorreram segundo as circunstâncias e para um fim benéfico em relação com a obra de Cristo, o Arauto, o Fundador do reino dos Céus. (grifo nosso).

O objetivo dos milagres de Jesus Cristo era mostrar para o mundo que Ele era realmente o Filho de Deus, o unigênito do Pai e revelar a misericórdia do Senhor e o seu plano a humanidade e produzir fé no coração do perdido.

Então Jesus lhe disse: “Se não virdes sinais e milagres, não crereis”. João 4:48

A bondade de Deus e o seu amor incondicional se revelam através de Jesus Cristo e este por meio dos sinais, milagres e maravilhas revela esse afeto de Deus por nós.

2. O Céu tocando a Terra

Quando contemplamos um milagre, estamos vendo claramente a manifestação de Deus na terra. E é nessa hora que o inimigo tenta nos enganar ‘imitando’ os milagres de Deus com o único propósito de nos enganar e nos desviar dos caminhos que o Senhor já tem planejado.

Como o milagre é justamente essa ‘ponte’ que mostra o agir de Deus entre nós (ligação entre o Céu e a Terra), o inimigo faz de tudo para nos enganar e nos tirar da comunhão com o Pai. Se fizermos uma pequena busca na internet, vamos encontrar diversas pessoas que ‘inventam’ milagres e enganam a muitos. Acontece que através dessa enganação não tem essa ‘ponte’ e as pessoas vivem uma falsidade e logo após uma desilusão, pois tudo o que aconteceu foi uma mentira. E com isso, o evangelho vai sendo envergonhado.

“Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor”? Atos 13.10

3. O milagre nosso de cada dia

“As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade”. Lamentações 3:22,23

Quando vemos esse versículo, é fácil de determinar que cada dia é um milagre de Deus para nós. Como vimos milagre nem sempre é uma cura, algo que estamos pedindo, mas sim uma intervenção de Deus nas nossas vidas. E Deus intervém todos os dias com sua graça e misericórdia, renovando a cada manhã e nos dando a oportunidade de vivermos mais um dia.

“Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele”. Salmos 118:24

São nas pequenas coisas do dia a dia que Deus intervém e que devemos ser gratos a Ele por tudo: dormimos, acordamos, comemos, bebemos, temos o que vestir…tudo isso demonstra o amor de Deus por nós, que vivemos pela Fé!

Que Deus lhe abençoe!

REFERÊNCIAS

Sites acessados:

http://gracaplena.blogspot.com.br/2011/10/encarnacao-de-cristo.html/
https://super.abril.com.br/cultura/6-milagres-da-biblia-explicados-pela-ciencia/
Bíblia online: https://www.bibliaonline.com.br/acf
ODILO, Reynaldo. Tempo Para Todas as Coisas: Aproveitando as oportunidades que Deus nos dá. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD

Por Rafael Cruz

 


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada