Ensinando e fazendo Missões

Buscar no blog

Nossos Esboços Recentes

CPAD Adultos – 4º Trimestre de 2018 – 04-11-2018 – Lição 5: Amando e resgatando a pessoa desgarrada

01/11/2018

Esse post é assinado por Eliel Goulart

Texto Áureo

“Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” – Lucas 15.7

Verdade Prática

Jesus é o Bom Pastor que deu a vida para resgatar suas ovelhas, as quais estavam desgarradas e distantes de Deus.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Lucas 15.3-10

3 – E ele lhes propôs esta parábola, dizendo:

4 – Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la?

5 – E, achando-a, a põe sobre seus ombros, cheio de júbilo;

6 – e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.

7 – Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

8 – Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?

9 – E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.

10 – Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.

INTRODUÇÃO

A paz do Senhor!

Todos os versículos citados são da Almeida Revista e Corrigida. Quando de outra versão, a mesma é mencionada.

Lucas capítulo 15 é uma trina narrativa que, em resumo, ensina que Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores.

Neste precioso capítulo há três parábolas com três figuras, e a primeira está interligada às outras duas.

Leiamos Lucas 15.1 e 2 – “E chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir.

E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores e come com eles.”

Com esta frase, os fariseus e escribas intencionaram caluniar a Jesus. Mas, desta má intenção o Senhor Jesus elevou a resposta ao nível celestial de Sua missão.

Primeiro, porque há aqui um ensinamento celestial: Cristo recebe os pecadores. Recebe os quebrantados de espírito, aos de coração contrito, aos que confessam suas transgressões deliberadas contra Deus e Sua Palavra.

Já antes o Senhor Jesus declarara em Lucas 5.32 – “Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores, ao arrependimento.”

Portanto, os pecadores achegam-se a Ele! É o maior milagre que podemos contemplar: um pecador condenado vindo a Cristo, atraído pela graça e misericórdia!

E reconhecemos como doutrina que ninguém pode vir a Cristo sem ver-se como pecador. O fingido não pode vir a Cristo. O hipócrita não pode vir a Cristo. O dissimulado não pode vir a Cristo. Por quê? Porque pode vir a Cristo somente o arrependido.

Vem a Cristo aquele que confia na graça e na misericórdia Dele e desacredita na autoconfiança. Porque a autojustiça é como pesados grilhões aos pés do pecador, que o impedem de dar um passo em direção ao Senhor Jesus!

Segundo, há nestas parábolas um encorajamento celestial.

Se o Senhor Jesus recebe os pecadores, como esta mensagem tem doçura e esperança para mim!

Eu me sinto encorajado, porque significa que Ele não me rejeitará.

Vindo a Ele recebo três bênçãos ao menos:

1 – o perdão dos pecados;

2 – a redenção;

3 – a posição de justo.

Por que temos certeza de que o Senhor Jesus, através destas parábolas, “recebe pecadores”?

Porque Ele recebeu muitos antes de mim e de você, ilustre professor e vocacionado!

I – INTERPRETANDO AS PARÁBOLAS DA OVELHA E DA DRACMA PERDIDAS

1 – A parábola da ovelha perdida

Os escribas e fariseus eram praticantes da murmuração.

Lucas 15.2 – “E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles.”

Murmurar – do verbo grego diagogguzó. A origem desta palavra é uma onomatopeia (a formação de uma palavra reproduzindo sons naturais associados a ela). Exemplo: O relógio faz tique taque. Havia um zum zum zum por ali…. No grego, a origem é de uma reprodução aproximada do som de pombas e abelhas. Um múrmurio, uma reclamação negativa.

Números capítulo 16 narra a rebelião de Coré, Datã e Abirão e ensina-nos que a murmuração é contaminadora.

Em Lucas 5.30 os escribas e fariseus murmuravam contra os discípulos de Jesus.

Em Lucas 19.7 a multidão, já contaminada pelos líderes murmuradores, murmurou também contra Jesus, acusando-o de entrar na casa de Zaqueu.

Em João 6.41 murmuraram contra Jesus por Ele ter dito que era o pão que desceu do céu.

Em Iª Coríntios 10.10, Paulo alertou aos crentes de Corinto a não murmurarem imitando os israelitas no deserto e pereceram pelo destruidor.

Em Filipenses 2.14 outra vez Paulo exorta aos crentes do Primeiro Século: “Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas.”

Pedro exorta a termos ardente amor uns para com os outros e sem murmurações – I Pedro 4.8 e 9.

Jesus Cristo percebeu a murmuração dos escribas e fariseus em meio à multidão. E de um mal, tirou um bem: propôs-lhes a parábola da ovelha perdida.

Diante de um povo acostumado à vida do campo, às cenas pastoris, uma ovelha desgarrada era de grande valor. Há detalhes que aprendemos deles:

Lucas 2.8 ensina que os pastores cuidavam das ovelhas dia e noite.

João 10.3 e 4 dá-nos a compreensão de que, apegados às suas ovelhas, o pastor as conhecia uma a uma pelo nome.

Na perspectiva mercantilista, o preço de 99 ovelhas é maior do que o de uma. Mas o pastor, afeito ao seu rebanho, não calculou o preço, mas o valor de uma, já suficiente para amar por ter extraviado do rebanho.

Na visão celestial, a matemática é diferente da terrena. Porque considera as superiores questões espirituais.

Nem foi necessário explicar à multidão que O ouvia, sobre o pastor ter deixado guarda das noventa e nove. Ter cem ovelhas, naquela época, já era informar que o proprietário tinha posses.

As noventa e nove não ficaram abandonadas. Basta lembrar-nos de I Samuel 17.20 – “Davi, então, se levantou pela manhã, bem cedo, e deixou as ovelhas a um guarda…” – e temos fundamento para assim afirmar. No antigo passado, na região do Oriente, e até aos nossos dias, os grandes rebanhos são conduzidos pelo pastor, indo à frente delas, e têm auxiliares guardando ao redor.

Lucas 15.4 – “…até que venha a achá-la.”

Não parou diante do sofrimento de caminhar por pedras e espinheiros, subindo montes e descendo aos vales. Tudo por uma ovelha!

Assim também o Senhor Jesus, o Bom Pastor, tudo sofreu por amor de nós, vindo a este mundo de tristezas, tão longe do redil celestial, para buscar-nos.

Isaías exclamou em capítulo 53 – “Não tinha parecer nem formosura… indigno entre os homens… aflito, ferido de Deus… Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.”

Observe Lucas 15.5 o júbilo do pastor ao achar a ovelha desgarrada. O pastor a levanta e a põe em seus ombros. Cheio de alegria que transborda e flui para os amigos e vizinhos, que são convocados a participar de seu contentamento.

Conta-se que trezentos anos após os tempos dos apóstolos, houve um homem chamado Caio Mário Vitório, que se converteu de sua vida de impiedades para Jesus Cristo e Seu Evangelho. E quando a notícia chegou ao Povo de Deus, registra-se que houve uma alegria maravilhosa, e que os crentes saltavam e gritavam de alegria, e hinos foram cantados nas congregações, enquanto os irmãos anunciavam alegremente: “Caio Mário tornou-se um cristão! Caio Mário é nosso irmão em Cristo!”

Lucas 15.7 – “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.”

2 – A parábola da dracma perdida

Lucas 15.8 a 10 –Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?

E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.

Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”.

Dracma – moeda grega de prata, de valor equivalente a um denário latino, ou seja, o pagamento por um dia de trabalho, conhecido entre nós como ´uma diária´.

Considerando que ela tinha somente dez moedas, era de muita importância acha-la. Certamente tratava-se de mulher pobre, que contava com aquela economia de dez dracmas. Ela se preocupou muito com a perda, dentro de casa, daquela única moeda.

A principal lição nesta parábola da dracma perdida é idêntica a da ovelha perdida.

Há aqui o uso de uma moeda de prata como símbolo da alma humana. Ora, a moeda tem o valor que tem porque está nela a imagem e a inscrição do rei.  O homem tem o valor que tem porque nele está a imagem e a inscrição do soberano Rei, quais sejam, os atributos da Razão e da Vontade.

Há ainda o fato com significado especial de que a moeda está perdida dentro de casa. A alma preciosa aos olhos de Deus está perdida dentro:

1 – Da Casa de Israel – Jeremias 3.20 – “Deveras, como a mulher se aparta aleivosamente do seu companheiro, assim aleivosamente te houveste comigo, ó casa de Israel, diz o Senhor.”

2 – Da Igreja, que é a Casa de Deus – I Timóteo 3.15 – “Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade.”

Observamos ainda que na parábola da ovelha perdida, esta desgarra-se e afasta-se do rebanho.

Nesta, a moeda perde-se dentro de casa.

Não poderia também simbolizar o crente que se perde dentro da própria casa do Senhor? Até frequentam os cultos, cantam, tocam instrumentos musicais, participam de atividades na vida da igreja, e podem até mesmo ocupar cargos. Mas estão perdidas na comunhão com Deus.

Perdidas na sujeira do adultério e da prostituição. Empoeiradas nas raízes de amargura e no orgulho próprio. Perdidas na escuridão dos ressentimentos. Todas arriscando a perderem-se para sempre.

I João 2.9 – “Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas. Mas aquele que aborrece a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.”

A moeda fora perdida mas não esquecida. Esta é a nossa esperança em oração a favor dos perdidos nas fraquezas dentro da Casa do Senhor: estão perdidos mas não esquecidos de Deus. O Senhor desperta corações tementes que intercedam por eles.

Meu irmão, a moeda foi perdida, mas não perdida sem esperança. Da mesma forma, a alma perdida dentro da Casa de Deus caiu onde ainda a podemos encontrar. Caiu ao nosso redor, e não está no desespero da distância de nós. Perdida dentro de Casa, onde o Evangelho de salvação é pregado e perdida onde ainda é procurada!

A procura detalhada da mulher ensina-nos que são necessárias pelo menos três virtudes para libertação das almas perdidas:

1 – perseverança;

2 – diligência;

3 – visão.

Ao “acender a vela”, trazendo luz a este mundo tenebroso, a igreja expõe o poder do Evangelho da verdade e da santidade.

De dez, uma moeda está perdida. Deus sente falta de cada alma perdida, e deseja sua restauração. Fomos criados para Deus, e nada menos do que Deus pode preencher o vazio da alma que se afastou de Seu Criador.

Três coisas fez a mulher:

1 – acendeu a lâmpada;

2 – varreu a casa;

3 – buscou com zelo até achar a dracma.

Na vida da igreja, semelhantemente:

1 – A luz deva sempre brilhar. Iluminando as almas perdidas nas escuridões de seus pecados ocultos.

Salmo 119.105 – “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.”

2 – A casa deve estar limpa. A imundície do mundanismo – que é tudo o que nos afasta da comunhão com o Senhor – deva ser varrida pela busca e submissão à direção soberana do Espírito Santo.

Tito 3.5 – “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo.”

3 – Devemos buscar os perdidos dentro da Casa de Deus.

E com zelo e diligência, levantar os caídos – Atos 20.7 a 12.

Endireitar os tortos – Lucas 13.11.

Trazer de volta os desviados que estão na Casa de Deus, mas o Deus da Casa não está neles.

O Senhor Jesus torna a declarar o grande resultado:

Lucas 15.10 – “Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.”

II – PRECISAMOS BUSCAR QUEM SE DESGARROU

1 – A vontade de Deus é que todos os homens sejam salvos

Pastor Eliel Goulart

Para continuar lendo esse esboço CLIQUE AQUI e escolha um dos nossos planos!

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos também que conquistamos uma parceria missionária com os seguintes trabalhos evangelísticos:

  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e continuar estudando a lição conosco…

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada

Postado por ebd-comentada


Acesse os esboços por categorias


Copyright Março 2017 © EBD Comentada