Buscar esboços

Nossos Esboços

CPAD Adultos – 4º Trimestre de 2017 – 01/10/2017 – Lição 1: Uma promessa de salvação

24/09/2017

Este post é assinado por: Pastor Eliel Goulart

Texto Áureo

“E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” – Gênesis 3.15

Verdade Prática

     A promessa da salvação foi a resposta amorosa de Deus para reconciliar consigo mesmo o ser humano.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Gênesis 3. 9 a 15
9 E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás?

10 E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.
11 E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?
12 Então, disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.
13 E disse o Senhor Deus à mulher: Por que fizeste isso? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.
14 Então, o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás mais que toda besta e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás e pó comerás todos os dias da tua vida.
15 E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

INTRODUÇÃO
Comentário do Blog

Paz do Senhor!

Começamos o último trimestre de 2017, quando estudaremos o tema geral da Doutrina da Salvação.

A Bíblia nos revela que o pecado ocasionou a queda do primeiro homem. E o nosso bendito Deus prometeu restaurar-nos a Ele, através de Jesus Cristo, a Semente da mulher. Leia o Texto Áureo.

Diante da queda de fracasso do homem, o Senhor Deus colocou em execução Seu plano eterno de redenção.

Efésios 1.4 – “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade ( amor – anotação nossa ).”

Efésios 3. 9 – “E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério ( no caso, a Igreja – anotação nossa ), que, desde os séculos, esteve oculto em Deus, que tudo criou.”

Deus prometeu um Redentor – repetindo a citação de Gênesis 3.15 – “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”

O homem foi despojado e privado de seus valores morais. Perdemos a imagem de Deus. Na Queda, despojado, encontrou-se vazio e espiritualmente morto.

Efésios 2.1 – “Em que, noutro tempo, andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência.”

Vamos estudar neste último trimestre, a principal doutrina da Bíblia. O tema central da Bíblia é a salvação mediante Jesus Cristo.

Ora, o Gênesis é o livro dos princípios. O princípio do mundo, da humanidade, do pecado no mundo e da promessa de redenção!

A Salvação por Cristo Jesus é bênção de livramento. Por ela somos livres:

1 – Do pecado – Mateus 1.21 – “E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”

2 – Da ira de Deus – Romanos 5.9 – “Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.”

3 – Da morte eterna – João 3.16 e 17 – “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”

4 – Do mundo – Gálatas 1.4 – “O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus, nosso Pai.”

5 – Do poder do diabo – Colossenses 1.13 – Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor.”

A salvação em Cristo Jesus nos alcança em três aspectos de bênçãos:

1 – Corpo – somos curados pelas Suas feridas – I Pedro 2.24. E no futuro, teremos corpo glorificado – I Coríntios 15.44.

2 – Alma – com a bendita salvação – I Pedro 1.9.

3 – Espírito – que é aperfeiçoado – Hebreus 12.23 – e assim temos comunicação com o Espírito de Deus – Romanos 8.16.

I – O CONCEITO BÍBLICO DA SALVAÇÃO
Comentário do Blog

A doutrina da salvação, em seu conjunto, é conhecida na Teologia Sistemática como Soteriologia – na junção de dois termos gregos: soterios – salvação – mais logos – tratado, estudo.

Salvação é uma palavra que inclui diversos aspectos em seu propósito. Há salvação do passado, no presente e para o futuro:

1 – Salvação da condenação do pecado.

2 – Salvação do poder do pecado.

3 – Salvação do corpo do pecado.

Ou seja, da penalidade, do poder e da presença do pecado.

No Antigo Testamento, a palavra hebraica yesha ( que é a raiz para o nome de Jesus ) significa liberdade daquilo que amarra. Denota o propósito de libertação. Livramento de um determinado perigo. Como exemplo citamos o drama dos israelitas ao se depararem com o mar Vermelho e a perseguição do exército de Faraó.

Êxodo 14.13 – “Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos e vede o livramento do SENHOR, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais vereis para sempre.”

Êxodo 14.30 – “Assim, o SENHOR salvou Israel naquele dia da mão dos egípcios.”

A salvação está personificada no Senhor:

Salmo 3.8 – “A salvação vem do SENHOR.”

Salmo 62.2 – “Só ele é a minha rocha e a minha salvação.”

Isaías 12.2 – “Eis que Deus é a minha salvação.”

Harold L. Willmington: “O Antigo Testamento inclui 116 referências encontradas em 16 livros. Ela é mencionada pela primeira vez por um pai – Jacó –  no Egito – Gênesis 49.18 – “A tua salvação espero, ó SENHOR!”

No Novo Testamento, o significado tem mais de uma acepção. Refere-se a livramento do perigo, ao perdão, à segurança. A palavra grega é soteria, que significa salvar, trazer a salvação, defesa e por implicação, salvação ( Strong ).

Mateus 8.25 – Jesus apazigua a tempestade – “E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos.”

Mateus 1.21 – “E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”

Atos 2.21 – “E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”

Hebreus 5.9 – “E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem.”

Harold L. Willmington: “O Novo Testamento inclui 44 referências encontradas em 16 livros. Ela é mencionada pela última vez pelos fiéis no céu – Apocalipse 19.1 – “E, depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor, nosso Deus.”

A salvação prática entende-se por uma maneira de viver em harmonia com a fé. De crer para viver. Movido do acreditar para o viver a salvação.

O cristão não é chamado para a inércia.

A bênção da salvação o faz proativo. Além de receber a promoção para a vida espiritual, há a aplicação pessoal da salvação. Lamentável constatar que muitos creem em Cristo como Salvador e Filho de Deus, aceitam o Seu sacrifício na Cruz do Calvário, mas, não se dispõem a saber como realizar os propósitos de Deus.

João 12.48 – “Quem me rejeitar a mim e não receber as minhas palavras já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último Dia.”

João 13.17 – ARA – “Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.”

Ilustração – Um trecho de pregação do famoso pregador galês e médico Dr. Martin Lloyd Jones, extraído do livro ” A igreja de hoje: o caminho de Emaús”:

“No início da década de 1930, eu preguei numa igreja do interior, em minha terra natal, no País de Gales. Ao final, dois obreiros me pediram para ir ao encontro de um outro obreiro, que antes era um dos melhores da igreja, e agora desistiu de ser ativo e limitava-se apenas a ajudar na escola da igreja. Tornou-se ocioso.

– Qual o problema dele?

– Ele entrou em algum tipo de condição deprimida. Queixa-se de dores de estômago e dores de cabeça e assim por diante!

Eu me encontrei com ele e logo percebi que ele era um homem na estrada de Emaús…

– Qual o seu problema?

Então, ele me reclamou de dores gástricas, dores de cabeça e dificuldades para dormir, e mais outras coisas.

– Há quanto tempo você está assim?

– Desde 1915. Quando a guerra começou em 1914 ( Primeira Guerra Mundial ), eu me alistei na Marinha. Na guerra, servi num submarino no mar Mediterrâneo. Nós fomos atingidos por uma mina e afundamos no mar Mediterrâneo. Desde então nunca mais fui o mesmo homem.

E parou de falar.

– Por favor, conte-me o restante da história.

– Fomos para o fundo do mar Mediterrâneo e eu fiquei assim desde então.

Insisti a que me contasse o que aconteceu depois. E ele repetia a mesma coisa: “Fomos para o fundo do Mediterrâneo. Nada mais!” Eu insistia a que contasse de novo e ele repetia a mesma versão: “Fomos para o fundo do mar!”

Eu lhe disse: “Você ainda está no fundo do Mediterrâneo?”  Ora, fisicamente ele não estava. Mas, mentalmente, sim. Ele tinha permanecido no fundo do mar desde então. Esse era o seu problema. Devido ao fato de que em sua mente ainda estava preso no fundo do mar.

Por que não me contou que de alguma forma veio até a superfície, que um navio o viu e o resgatou a bordo, cuidaram dele lá e o trouxeram de volta à Inglaterra, que foi levado ao hospital e recebeu todo o tratamento? Ele parou no fundo do Mediterrâneo!

Represado e inerte em sua mente, sofria dessa terrível depressão por quinze anos…

Estou feliz em dizer que como resultado de falar o restante da história, este homem foi perfeitamente restaurado. Retornou com ânimo ao ministério, e um ano após cresceu na ordenação como pastor.

Há pessoas em tais condições na estrada de Emaús. Lá estão eles, presos no fundo… “Nós pensávamos… o julgaram e condenaram injustamente… O crucificaram… Ele morreu e foi sepultado, e esta no túmulo.” – Lucas 24. 16 a 24 –  Eles estavam tão presos no fundo que perderam a capacidade de ver a presença de Jesus ressurreto ao lado deles!

Eu receio que este seja o problema de muitos crentes. Tão conscientes dos problemas, tão imersos nos problemas, e esquecem da glória da salvação ao nosso redor, e nada mais veem senão os problemas! E isto os leva ao desânimo crescente. São homens na estrada de Emaús…”

Ora, Filipenses 2.12 – ARA – exorta “…desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor.” Na Almeida Corrigida – “…operai a vossa salvação…”  ou ainda noutra versão: “…efetuai a vossa salvação.” Strong nos explica que a palavra no grego tem o significa primário de “trabalhar até o ponto final”.

Filipenses 3.14 – “Prossigo para o alvo…”

II Crônicas 25.9 – “Mais tem o Senhor para te dar do que isso.”

I Reis 19.7 – “…porque mui comprido te será o caminho.”

2. Salvação no Antigo Testamento
Comentário do Blog

No Antigo Testamento, vemos a salvação no Éden. Promessa que anunciou a vitória da semente da mulher, através de todas as épocas. Gênesis 3.15 – ” E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” – Isaías 7.14 – “Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.”

Nome profético: Emanuel – Deus conosco.

Desde o princípio, Satanás agindo como inimigo, tentou impedir o cumprimento da promessa de nosso bendito Deus. Mas, nunca alcançou êxito neste maléfico propósito.

Cristo, na cruz de Sua vitória, cumpriu a promessa: a semente da mulher esmagou a cabeça da serpente.

Lucas 10.18 – “Eu via Satanás, como raio, cair do céu.”

João 12.31 – “Agora, é o juízo deste mundo; agora, será expulso o príncipe deste mundo.”

Romanos 16.20 – “E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés.”

Colossenses 2.15 – “E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.” – ARA – “… e deles triunfou na cruz.”

A nossa salvação foi prefigurada em Gênesis 3.21, quando o Senhor imolou uma vítima, cobrindo a nudez de nossos primeiros pais, Adão e Eva. Esta vítima prefigura, tão claramente, a Obra sacrificial e expiatória consumada por Jesus na cruz de dor, por causa de nossos pecados.

I Pedro 3.18 – “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus.”

O Senhor Jesus está também prefigurado em Isaque e na vítima que o substituiu:

1 – Em Abraão e em Isaque – O Pai e o Filho prefigurados. Mateus 1.1 – “Livro da geração de Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão.”

2 – Simbolizado no amor de Abraão pelo seu filho Isaque – Romanos 5.8 – “Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

3 – Abraão caminhando junto com Isaque e levando a lenha do holocausto – Gênesis 22.6 e 8.

II Coríntios 5.19 – “Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo…”

João 8.29 – “E aquele que me enviou está comigo; o Pai não me tem deixado só…”

4 – Os moços auxiliares foram deixados à distância – Gênesis 22.5 – Simbolizando os anjos que, no momento crucial da cruz, afastaram-se silenciosos e Cristo estava desamparado. Antes, durante o Seu ministério, sempre era assistido pelos anjos.

Mateus 27.46“E, perto da hora nova, exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lemá sabactani, isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

5 – Isaque, ao ser amarrado, simbolizando a Jesus pregado na cruz – Gênesis 22.9.

Lucas 23.33 – “E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram e aos malfeitores, um, à direita, e outro, à esquerda.”

6 – Abraão ao levantar o cutelo com a intenção de imolar a Isaque – Gênesis 22.10.
Indica o fato de Jesus substituir-nos sofrendo o castigo dos nossos pecados.

I Pedro 2.24 – “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro…”

7 – Isaque foi desamarrado e levantado do altar do sacrifício – Gênesis 22.13.
Na mente e no coração de Abraão, Isaque já estava morto.
Porém, Hebreus 11.19 diz-nos: “E daí também, em figura, ele o recobrou.”

Romanos 4.25 – “O qual por nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação.”

E o que poderíamos dizer da salvação garantida e predita na Páscoa? Dela estudaremos na Lição 2 de 8 de outubro de 2017, querendo o Senhor! E mais outros textos excelentes que, no Antigo Testamento, confirma a promessa de salvação.

No tocante à salvação no Antigo Testamento, escolhi para subsidiar aos amados professores e vocacionados, o comovente episódio do drama de Abraão posto em prova. Quando lhe foi pedido o seu único filho, e na hora prévia e decisiva, foi impedido pelo próprio Senhor, e uma vítima foi sacrificada em lugar de Isaque, prefigurando a Jesus Cristo, numa revelação simbólica e profética a Abraão, de que o Redentor viria consumar a poderosa obra de salvação a favor da humanidade. Morte vicária na cruz do Calvário, operando grande redenção!

O irmão e a irmã se lembram do hino 380 – Abraão e seu sacrifício – de nosso histórica Harpa Cristã? Hoje em dia, raramente é cantada entre nós da Assembleia de Deus. Gênesis capítulo 22 cantada em versos poéticos. Sete longas estrofes! Reproduzo a letra da última estrofe:

“O nosso Isaque oferecemos com firmeza,
No Moriá onde finda o ideal,
Pois foi ali que alcançamos fortaleza,
Os vencedores, sob canto angelical:
Ali, o nosso Deus jurou fidelidade,
Também os santos se encheram de valor,
E só teremos a perfeita santidade,
Depois que formos para o monte do Senhor.”

Ouça o hino abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=FlFHuaTVX1E

 

3. Salvação em o Novo Testamento
Comentário do Blog

Efésios 2.8 – “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus.”

Neste versículo temos três palavras-chave do Novo Testamento: graça, salvo e fé. Foram introduzidos na doutrina do Novo Testamento. Na ocasião em que Paulo escreveu, tais termos eram desconhecidos, estranhos e doutrinariamente novos no contexto do Evangelho.

O crente foi salvo e continua em estado de salvação. Em Efésios 2.5 já está exposto entre parênteses: “(pela graça sois salvos).” Paulo retorna ao tema, antes de continuar com o “Portanto…” no versículo 11, concluindo assim o exposto em Efésios 2.1 a 7.

Num resumo singelo, expomos a salvação em o Novo Testamento, a partir da graça que se manifestou por nosso Senhor Jesus Cristo:

“A salvação vem do Senhor.” – Salmo 3.8.

“Do Senhor vem a salvação.” – Jonas 2.9.

“Todos pecaram e destituídos estão da glória ( da presença – anotação nossa ) de Deus.” – Romanos 3.23.

Todos nós pecamos em Adão. E nunca o homem teve boa vontade para com Deus.

De si mesmo, o homem nunca teve a intenção de buscar a salvação.

“Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens.” – Lucas 2.14.

Ou seja, a boa vontade não se origina no homem, mas em Deus.

I João 4.8 – “Deus é amor.”

João 3.16 – “Porque Deus amor ao mundo ( a humanidade – anotação nossa ) de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Deus amou. O homem pecou.

Por que Deus veio em direção ao homem? Porque Deus é amor! Deus ama ao homem. A expressão do amor de Deus se revela na morte de Cristo na cruz do Calvário.

A graça de Deus é o amor em expressão: “Deus é amor.” Quando o amor de Deus se manifesta a favor do homem, torna-se Graça. Ora, o amor inerente é abstrato. A graça exterior lhe dá substância.

Por exemplo: o crente diz que ama a um mendigo. Até sente pena dele. Tem simpatia por ele. Mas, este amor pode continuar no seu interior e abstrato. Se não lhe der comida e roupas, o máximo que se abstrai é dizer que ama ao mendigo. A diferença entre amor e graça é que o amor é interior e a graça é manifestação exterior.

O amor em ação: graça. A graça como sentimento: amor.

Se não tem amor, não tem também graça. A graça é ato de amor para com o necessitado. Entenda que Deus ama ao Filho unigênito, mas não há ´graça´ nesta relação. Nem para com os anjos há graça. Por que não há graça entre eles? Porque não há necessidade!

Nós somos pecadores e temos necessidade da salvação. Não temos como resolver o problema do pecado por nós mesmo. Quando o amor flui no mesmo nível, então é amor simplesmente. Quando flui para baixo, para o necessitado, ele é graça.  Observe ao ler a Bíblia, que ela menciona o amor de Jesus e dá maior atenção à graça do Senhor Jesus. A Bíblia fala da graça de Deus, mas dá maior atenção ao amor de Deus. Não estou afirmando aqui que não existam o amor de Jesus ou a graça de Deus. Nada disso, por favor! Refiro-me à questão da ênfase, apenas.

II Coríntios 13.13 – “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.”

O Senhor Jesus cumpriu a obra eterna de salvação. O amor de Deus tornou-se graça por meio da obra expiatória de Jesus Cristo.

João 1.17 – “…a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.”

I Coríntios 1.4 – “Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Cristo Jesus.”

Apocalipse 22.21 – “A graça do Senhor Jesus seja com todos.”

Atos 15.11 – “…somos salvos pela graça do Senhor Jesus…”

I Pedro 1.13 – “…esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo.”

II Timóteo 1.9 – “Que nos salvou, e chamou-nos com uma santa vocação, não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos.”

Myer Pearlman expõe de maneira magistral a doutrina da salvação conforme o Novo Testamento. Ele ensina que cada um dos três aspectos da salvação é ilustrado por uma cena:

1 – A justificação – lembra-nos um tribunal. O homem culpado e condenado diante de Deus, é absolvido e declarado justo.

2 – A regeneração – lembra-nos uma cena familiar. Ele divide a regeneração como experiência subjetiva. E adoção o privilégio objetivo. Morto em delitos e ofensas, o homem precisa duma nova vida, e a recebe pelo ato divino da regeneração. Nasce de novo e torna-se herdeiro de Deus e membro da família de Deus.

3 – A santificação – sugere uma cena do templo. Adotado na família divina, agora dedica-se a servir a Deus.

Sendo justificado, ele é justo.

Sendo regenerado, ele é filho de Deus.

Sendo santificado, ele é literalmente uma pessoa santa.

A graça gratuita da salvação é recebida pelo homem através da fé.

“A doutrina da justificação pela graça de Deus, mediante a fé do homem, remove dois perigos: primeiro, o orgulho da autojustiça e de auto esforço; segundo, o medo de que a pessoa seja fraca demais para conseguir a salvação.” ( Myer Pearlman ).

Vamos sintetizar a doutrina da salvação no Novo Testamento:

A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus – Romanos 11.17 – “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”

A fé conduz ao arrependimento. II Coríntios 7.10 – “Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação…”.

A fé junto com o arrependimento opera a salvação. E o arrependimento verdadeiro produz a conversão. Atos 11.21 – “E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor.”

A conversão verdadeira conduz à santificação – Atos 26.18 – “Para lhes abrires os olhos e das trevas os converteres à luz e do poder de Satanás a Deus, a fim de que recebam a remissão dos pecados e sorte entre os santificados pela fé em mim.”

A santificação é a exigência, ou melhor, a condição para a glorificação do crente – II Coríntios 5.1 – “Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus.”

Ilustração Conta-se que um homem simples se converteu. Seus amigos zombavam disso. Antes ele bebia muito, e, portanto, os amigos não acreditavam na sua conversão.

E tentaram debochar dele:

– Ó fulano, você acredita que Jesus transformou água em vinho numa festa? Como foi isso, explica aí!

– Não sei como Jesus transformou água em vinho naquele casamento, mas em minha casa ele transformou cachaça em comida na mesa!

Qual a maior prova dos milagres de Jesus? A transformações de vidas!

Ele transforma o corrupto, o adúltero, o violento, o rebelde, o revoltado, o vingativo, o viciado em um novo homem, a ponto de seus conhecidos exclamarem: “Só Deus pode fazer isso!”

II – A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA DA SALVAÇÃO

1. A grandeza da salvação
Comentário do Blog

Romanos 6.11 – “Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus.”

A grandeza da salvação se ressalta diante do fato incontestável do pecado.

O pecado conduz o homem à prática do mal. Gera tantos malefícios: a guerra, a luta, o sofrimento e a morte eterna. O pecado produz miséria social, moral, psíquica, mental, física e espiritual. O pecado separa de Deus. E a graça de Deus salva o homem.

Efésios 2.5 – “Estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo – pela graça sois salvos.”

A grandeza da salvação pela graça é que um morto não se pode ajudar em sua própria ressurreição.

Enfim, a grandeza da salvação está na grandeza da graça de Deus para conosco:

1 – Somos herdeiros da graça;

2 – Estamos debaixo da graça;

3 – Devemos crescer na graça;

4 – Somos fortalecidos na graça;

5 – Podemos triunfar na graça;

II Coríntios 12.9 – “A minha graça te basta.”

2 – Para compreender o que Jesus fez
Comentário do Blog

O que o Senhor Jesus fez por nós?

Em retrospectiva, no presente e em perspectiva:

Antes da Cruz

1 – Cumprir o plano eterno de Deus

João 6.38 – “Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.”

2 – O tema das profecias

Isaías 9.6 – “Porque um menino nos nasceu ( natureza terrena profetizada ), um filho se nos deu ( natureza celestial ); e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”

3 – Veio para introduzir a Graça

João 1.17 – “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.”

Na Cruz

1 – Reconciliou-nos com Deus

Efésios 2.16 – “E, pela cruz, reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.”

2 – Redimiu-nos ( comprou-nos de volta )

Efésios 1.7 – “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas segundo as riquezas da sua graça.”

3 – Despojou ( saqueou ) principados e potestades

Colossenses 2.15 – “E, despojando os principados e potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.”  – Aqui temos a cena de um desfile triunfal de um exército.

Depois da Cruz

1 – Salvou-nos pela Graça

Efésios 2.8 – “Pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.”

2 – Concedeu-nos o dom do Espírito Santo

Atos 1.8 – “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.”

3 – Operou nova criação em nós

II Coríntios 5.17 – “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.”

Ilustração – O grande pregador Dwight Lyman Moody ( 1837 – 1899 ), expôs a seguinte ilustração numa de suas pregações:

Que um pastor caminhava por certo lugar, e encontrou-se com um menino carregando uma gaiola cheia de diversos pássaros da região. Perguntou a ele:

– O que vai fazer com estes pássaros?

– Vou brincar… depois que me cansar, darei eles ao gato para que os coma.

– Oh! – Disse o pastor – gostaria de comprar estes passarinhos.

– Para que o senhor os quer? Não cantam. Não são raros. Não servem para nada…

– Mesmo assim quero comprá-los. Quanto você quer por eles?

– Dez dólares pelos pássaros e pela gaiola.

O pastor pagou o dinheiro, tomou a gaiola em suas mãos e foi-se. Mas, o menino, curioso, o seguiu para ver o que ele faria com os pássaros. O pastor chegou a um lugar aberto e abriu a porta da gaiola. Nenhum deles se moveu. Não se deram conta que estavam livres! Então, o pastor bateu devagar na gaiola, incentivando-os a saírem e voarem para a liberdade. Um a um saíram e voaram…

Nós fomos presos por Satanás na prisão do pecado. Somos prisioneiros em cadeias de pecados. Mas, o Senhor Jesus deixou o esplendor de Sua glória, e resgatou por alto preço. Abriu as portas da prisão! Deu liberdade aos que estavam cativos. Por que não aceitar a oportunidade e sair das garras do pecado e voar para Deus? Por que não usufruir com a liberdade em Cristo Jesus?

Vamos pregar, aceitar e compreender o que Jesus fez por nós!

3 – Para se apropriar dos benefícios da salvação
Comentário do Blog

Quais são os benefícios da salvação?

1 – Trata com o problema do pecado

João 1.29 – “No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”

2 – O benefício da redenção

Colossenses 1.14 – “No qual temos a redenção, a remissão dos pecados.”

Redenção significa o ato de libertar o escravo mediante o justo resgate exigido e pago. Não era pagar o preço e manter o escravo para si. Era resgatar e libertar.

É isso o que o Senhor Jesus fez no Calvário e opera no homem escravo do pecado quando este vem a Cristo, reconhecendo suas misérias, sua escravidão e aceitando-O como seu Redentor.

3 – A fé

Judas versículo 3 – “…tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.”

A fé se manifesta em três aspectos principais:

1 – A fé para a salvação – acompanha-nos por toda a vida, pois a salvação é um processo contínuo que se desenvolve à medida em que caminhamos rumo ao céu.

2 – A fé como fruto do Espírito Santo – no sentido de fidelidade perseverante a Deus. Ela tem crescimento: II Coríntios 10.15 – “…antes, tendo esperança de que, crescendo a vossa fé…”

3 – A fé como dom de Deus – esta é a que produz milagres e que opera maravilhas. Esta foi a que Jesus se referiu em Marcos 11.22 – “E Jesus, respondendo, disse-lhe: Tende fé em Deus.”

4 – A regeneração.

Recebemos o benefício de sermos incluídos na família de Deus e nos tornamos filhos de Deus.

I Pedro 1.23 – “Pois fostes regenerados, não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente.”

5 – A justificação.

Através deste benefício, Deus decretou a nossa absolvição e nos declarou justos. A nós que cremos foi imputada a justiça de Cristo e somos declarados justos.

Atos 13.39 – “E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê.”

6 – Temos a segurança da salvação.

Segurança real. I Coríntios1.8 – O qual vos confirmará até o fim.”

Todos os crentes verdadeiros são ovelhas de Jesus. E todas as ovelhas de Jesus têm promessas de efetiva segurança. João 10.27 e 30 – As minhas ovelhas ouvem a minha voz… Eu lhes dou a vida eterna, jamais perecerão. Ninguém as arrebatará da minha mão.”

7 – O benefício da glorificação futura.

I João 3.2 – “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é.”

Eis o benefício final da vida do crente:

a – um arrebatamento glorioso.

b – um corpo glorioso.

c – um lar glorioso.

III – A SALVAÇÃO PROMETIDA NO ÉDEN

1. O pecado humano

2 – A transferência da culpa

3 – Satanás esmagado e o pecado vencido

Comentários do Blog

O tópico III acima e seus três subtópicos podem se resumir suficientemente em Gênesis 3.15 – “E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”

De todas as criaturas, certamente a serpente é das mais desagradáveis. O inimigo de nossa alma é aqui significado. E todos os seus servos, nas suas carnalidades e perversidades, são chamados de semente ( filhos ) de Satanás.

A “sua semente” é referido a Cristo. Assim se entende o significado da promessa.

Gálatas 3.19 – “…até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita…”

Primeiro e principalmente se refere a Cristo, cuja obra expiatória do Calvário, feriu a cabeça da serpente, destruindo sua influência dominadora do mal e seu poder. E por segundo, abrange aos crentes, que são a semente de Cristo, que lutam contra o reino do diabo e o vencem pelos méritos e autoridade de Cristo.

Ao ferir a cabeça da serpente, o Senhor Jesus atingiu:

1 – O principal instrumento da maldade e astúcia enganadora do diabo.

2 – O principal instrumento de suas defesas.

3 – O principal lugar de sua ofensividade.

Aleluia! Destrói a cabeça com o veneno do pecado!

“E tu lhe ferirás o calcanhar” – a parte mais distante da cabeça e do coração. Ali a ferida, ainda que dolorosa, não é mortífera, se socorridas a tempo. No caso de Cristo, “o calcanhar” se aplica a Sua humanidade. Ele pisou sobre esta terra, e homens maus, instrumentos de Satanás, afligiram ao nosso Senhor e o crucificaram.

E também “o calcanhar”, por secundário, pode significar ao Seu povo. De várias maneiras, o inimigo machuca e aflige ao povo de Deus aqui na terra. Mas não alcança a cabeça, que é Cristo, que está no Céu, e nem ao povo do Senhor, quando formos arrebatados para lá.

Esta promessa tem três etapas:

1 – A inimizade

2 – O conflito

3 – A vitória

Que maravilha a misericórdia de nosso Deus, ao proclamar desde o primeiro dia de pecado, pondo à frente o propósito da salvação. Nós cremos nisso para vencermos as tentações diárias?

Ilustração – A árvore mais venenosa do mundo chama-se manchineel e ocorre nas ilhas do Caribe, Antilhas e Bahamas. E também se encontra, quase em extinção, na Flórida. Não ocorre no Brasil.

Seus frutos parecem-se com maças, e são descritos como doces e suculentos. Porém, as reações deles provocam dores extremas, que duram por até oito horas. Está no Guinness Book como a árvore mais perigoso do planeta!

Até mesmo a casca é venenosa. Quem fizer fogueira delas, são atingidas pela fumaça venenosa que causa cegueira, às vezes, irreversível. Estas árvores atingem de 15 a 20 metros e com folhas verdinhas e ovaladas, que atraem os desavisados para debaixo de suas copas sombreadas. Mas, há outro perigo nelas: a seiva. Além de venenosa é corrosiva. Ao se procurar abrigo debaixo de tal árvores, caindo uma gota da seiva na pele humana, provoca queimaduras dolorosas. Em dias de chuva, as gotas que pingam dela causam queimaduras corrosivas de extrema dor, irritação, bolhas e inchaços.

Hoje há tratamentos custosos e a ajuda dos hospitais das regiões, onde ainda são encontradas.

Mas, antigamente, muitos morreram por causa dessa árvore venenosa. E os nativos descobriram que perto delas cresce uma figueira, cujo figo se aplicado a tempo, é remédio de alívio contra os ferimentos provocados pela árvore manchineel.

Do mesmo modo, ao lado do pecado e suas consequências medonhas, o Senhor pôs o Evangelho da graça de Deus. Sim, o Evangelho da vida de Cristo ao lado da sentença de morte do pecado.

Gênesis 3.15 – “…esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”

“A peçonha do pecado que Satanás tentou passar à humanidade foi aniquilada pela morte redentora de Cristo.” ( Claiton Ivan Pommerening ).

( Adaptado de www.megacurioso.com.br/plantas-e-frutas/40716-manchineel-conheca-a-arvore-mais-sinistra-do-planeta.htm em 23 de setembro de 2017 ).

CONCLUSÃO
Comentário do Blog

Concluo com este devocional de Max Lucado ( 1955 ):

“Há uma razão pela qual o para-brisas é maior que o espelho do carro. Seu futuro importa mais do que o seu passado.

A graça de Deus é maior que o seu pecado.

Você pensou que o problema era seu calendário, seu casamento, seu emprego. Na realidade, é esta culpa não resolvida! Não dê espaço para ela. Não se afogue no bojo da sua própria condenação. O que você fez não foi bom. Mas seu Deus é bom e ele lhe perdoará. Ele está pronto para escrever um novo capítulo em sua vida. Diga com Paulo “esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” (Filpenses 3.13-14 NVI).

Sua salvação tem nada a ver com seu esforço e tudo a ver com a obra completa de Cristo na cruz. Regozije-se na misericórdia do Senhor!”

No mais Deus proverá!

Pastor Eliel Goulart


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada