Ensinando e fazendo Missões

Buscar esboços

Nossos Esboços

CPAD Adultos – 2º Trimestre de 2017 – 02/04/2017 – Lição 1: A Formação do Caráter Cristão

30/03/2017

Este post é assinado por: Pastor Eliel Goulart

Texto Áureo 

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim” – Gálatas 5.20

Verdade Prática

     O homem nascido de novo tem o seu caráter transformado pelo Espírito Santo.

INTRODUÇÃO

Eclesiastes 7.29 – “Vede, isto tão somente achei: que Deus fez ao homem reto, mas ele buscou muitas invenções”.

Na queda de Adão, no pecado de nossos pais, está a fonte das iniquidades. Tanto nossos primeiros pais, quanto toda a sua posteridade, chegando até nós. Sempre procurando novas maneiras de sermos mais sábios, mais felizes, querendo suplantar o que Deus fez. Queremos alcançar a bem-aventurança por nossos próprios métodos.

O pecado degenerou ao homem. Fomos criados retos, não no sentido aqui de andar ereto, mas numa disposição de mente e de coração. Toda a corrupção do caráter humano veio através da queda de Adão. E a natureza caída procura tão somente satisfazer os seus sentidos.

Somente em Cristo somos transformados em nosso caráter.

Colossenses 3. 9 e 10 – “…já vos despistes do velho homem com seus feitos e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou“.

Efésios 4.24 – “E vos revistais do novo homem, que, segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade” .

I – O CARÁTER NA REALIDADE DO HOMEM

1 – O que é caráter

Como você age e como você reage, definem seu caráter. O seu caráter é expressão de sua conduta e de suas escolhas morais. Certamente, você já ouviu alguém ser avaliado como ´sem caráter´. Ou seja, sem princípios, sem moral. Na sua história, o caráter é sua marca.

II Reis 4.9 – “Eis que tenho observado que este que passa sempre por nós é um santo homem de Deus”.

2 – Personalidade e caráter

Há diferenças entre personalidade, caráter e temperamento.
Somos tripartidos em espírito, alma e corpo. I Tessalonicenses 5.23
E somos tripartidos em caráter, personalidade e temperamento.

Personalidade
É a sua identidade, em relação ao que os outros pensam ao seu respeito, mas que muitas vezes, não representa o que você é. (aquilo que você vê na outra pessoa, ou eles veem em você). É a união de seu temperamento + caráter + hábitos.

Caráter
É tudo aquilo que você é na sua intimidade e ninguém sabe, são atitudes repetidas diariamente que moldam o seu caráter.

Temperamentos
Temperamentos são qualidades que já nascem com o indivíduo, é genético, ou seja, é aquilo que não é aprendido. Existem 4 tipos de temperamentos: Sanguíneo, Colérico, Fleumático e Melancólico.

(https://pt.scribd.com/doc/11999258/estudo-sobre-temperamento-carater-e   personalidade – Consultado em 29 de março de 2017, às 20 : 54´ ).

A boa notícia é: nós podemos ser transformados pelo poder de Deus, através do Espírito Santo, em todas as áreas negativas da nossa vida.

II Coríntios 5.17 – “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.

Filipenses 1.6 – “Tendo por certo isto mesmo: que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de Jesus Cristo”.

 II – A DEFORMAÇÃO DO CARÁTER HUMANO

 1 – A Queda e o caráter humano

“Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” – Gênesis 1.26

Louis Berkhof  – Teologia Sistemática, Luz para o Caminho, São Paulo, 1990, página 206 – diz que na concepção reformada, a Imagem de Deus consiste na integridade original da natureza do homem, integridade esta expressa:

No Conhecimento Verdadeiro
Colossenses 3:10 “E vos revestistes do novo homem, que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou”.

Na Justiça
Efésios 4:24 “E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”.

Na Santidade
Efésios 4:24 “E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”.

2 – Imagem e semelhança de Deus

Agostinho diz que o homem foi criado “capaz de não pecar”.

Ao criar o homem a Sua própria imagem e semelhança, Deus estabeleceu uma relação na qual o homem poderia refletir, de modo finito, determinados aspectos de Seus atributos, quais sejam, os atributos morais de Deus.

Colossenses 3.10 – “E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.” Aspectos tais como da retidão e da santidade.

3 – A deformação do caráter humano

a) No relacionamento com Deus;

b) No relacionamento humano;

c) No relacionamento com a natureza;

Gerard Van Groningem – livro Revelação Messiânica no Velho Testamento, Luz para o Caminho, Campinas, 1995 – apresenta a imagem de Deus como tendo esta tríplice relação:

Relação com Deus;
Relação com o próximo;
Relação com a criação;

Em Adão perdemos a imagem de Deus. Não expressamos a Deus. O patriarca Jó queixou-se dessas lamentáveis perdas:

Jó 9.25 – “E os meus dias são mais velozes do que um corredor” – nascer com a terrível e fatal possibilidade de morrer. A brevidade desta existência.

Jó 9. 28 – “Receio todas as minhas dores” – a dor física por causa das doenças e inúmeras enfermidades.

Jó 9.29 – “Por que trabalharei em vão?” – “Porque nada trouxemos para este mundo e manifesto é que nada podemos levar dele” – I Timóteo 6.7.

Jó 9.32 e 33 – “Porque ele não é homem, como eu, a quem eu responda, vindo juntamente a juízo.

Não há entre nós árbitro que ponha a mão sobre nós ambos” – como descendentes de Adão, nascemos condenados. E no justo juízo de Deus, não escaparemos por nós mesmos. Perdemos a inocência.

O homem não foi criado para viver só. Tanto é que Deus lhe preparou uma companheira.

Nosso caráter foi deformado, e perdemos o aspecto funcional da imagem de Deus. Nossos dons, talentos e habilidades foram todos usados para afrontar a Deus. E ao próximo. O pecado traz conflito e desonra nos relacionamentos pessoais no lar, na vizinhança, no local de trabalho, nos negócios e nas convivências sociais mais comuns. E afrontar a Deus também na relação com sua criação.

III – A REDENÇÃO DO CARÁTER HUMANO

1 – Novo nascimento, transformação do caráter humano

No sentido ontológico, a imagem de Deus permanece. O homem continua sendo homem. Mas no sentido funcional, temos, como descreveu Calvino, após a queda, ´uma imagem deformada´- Livro Comentário de I Coríntios – Edições Paracletos, São Paulo, 1996, página 488.

Em João capítulo 3, lemos do encontro de Nicodemos com o Senhor Jesus.
Nicodemos era homem de boa reputação. De elevado conceito moral. Religioso. Exemplo para a sociedade de sua época. Mestre em Israel. E a ele, um homem de tal estirpe, o Senhor Jesus disse: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus”.

O crente tem dois aniversários. O natural, do dia em que veio a luz. E o espiritual, o novo nascimento. E somos restaurados a refletir a imagem de Deus perdida no Éden. Em Cristo, que é a imagem perfeita de Deus.

Colossenses 1.15: “Ele é a imagem do Deus invisível”.

Como escreveu Myer Pearlman: “Quem é Deus? Deus é igual a Jesus, ou seja, a ideia que Deus faz de Si mesmo”. Em Romanos 8.29 está escrito que Deus “nos predestinou para serem conformes à imagem de Seu Filho”.

Nicodemos era um ótimo cidadão. Mas a ele o Senhor Jesus relembrou: 

João 3.14 – “E, como Moisés, levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado”.

Nas jornadas de Israel no deserto, quando rodeavam a terra de Edom, o povo murmurou contra Deus e falou contra o Senhor. Inclusive chamando o pão do céu de pão tão vil. Então o Senhor enviou entre o povo serpentes venenosas, que ofendiam ao povo, e muitos morreram assim. Eles vieram a Moisés e se humilharam. O homem de Deus intercedeu por eles, e o Senhor lhe ordenou fazer uma serpente de metal, e o homem, dentre todo o povo, que fosse ofendido pelas víboras venenosas, olhava para a serpente de metal pendurada na haste e ficava vivo. O veneno perdia seu efeito fatal – Números 21.1 a 9.
O Senhor Jesus se referiu a esta passagem bíblica.

No Jardim do Éden, de modo ilustrativo, a serpente picou o primeiro homem. Ficando este com o sangue contaminado. E sofreu as consequências do veneno do pecado diretamente em seu caráter.

Somente um que tivesse o sangue incontaminado – I Pedro 1.19 – que nasceu, não da força do homem, mas por obra do Espírito Santo – Mateus 1.20 –  poderia com seu sangue sem o veneno do pecado, prover tão grande salvação para todos nós – João 3.16.

2 – A Palavra de Deus muda o caráter

Tiago 1.18 – “Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade…”

A Palavra de Deus age em nosso caráter como o mel que deleita – Salmo 119.103 – como o pão que alimenta – Deuteronômio 8.3 – como semente que frutifica – Lucas 8.11 – como poder que sara – Salmo 107.20 – como luz que ilumina – Salmo 119.105 – como fogo que purifica – Jeremias 23.29 – como espada que penetra – Hebreus 4.12.

Como ensina Myer Pearlman sobre os três aspectos da salvação mencionados na lição, exatamente neste tópico comentado:
“Há três aspectos da salvação, e cada qual se caracteriza por uma palavra que define ou ilustra cada aspecto:

( a ) Justificação é um termo forense que nos faz lembrar um tribunal. O homem, culpado e condenado, perante Deus, é absolvido e declarado justo – isto é, justificado.

( b ) Regeneração ( a experiência subjetiva – dentro de nós ( observação nossa )  – e Adoção ( o privilégio objetivo – fora de nós – grifo nosso ) sugerem uma cena familiar. A alma, morta em transgressões e ofensas, precisa duma nova vida, sendo esta concedida por um ato divino de regeneração. A pessoa, por conseguinte, torna-se herdeira de Deus e membro de sua família. (Está aqui a doutrina no novo nascimento – observação nossa).

( c ) A palavra santificação sugere uma cena do templo, pois essa palavra relaciona-se com o culto a Deus. Harmonizadas suas relações com a lei de Deus e tendo recebido uma nova vida, a pessoa, dessa hora em diante, dedica-se ao serviço a Deus. Comprado por elevado preço, já não é dono de si; não mais se afasta do templo (figurativamente falando), mas serve a Deus de dia e de noite. Lucas 2.37. Tal pessoa é santificada e por sua própria vontade entrega-se a Deus.”

A Palavra de Deus harmoniza o homem com o Seu Criador.

3 – O caráter amoroso e santo do crente

I Coríntios 15.47 – “O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.”

Em Adão perdemos a imagem de Deus. Nosso caráter deformado.
Em Cristo é-nos restaurada a imagem de Deus. Expressamos a Cristo pelo nosso caráter transformado.

I Coríntios 15.49 – “Assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial”.

Por Pastor Eliel Goulart


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada