Ensinando e fazendo Missões

Buscar no blog

Nossos Esboços Recentes

CPAD Adultos – 1º Trimestre de 2019 – 27-01-2019 – Lição 4: Possessão demoníaca e a autoridade do nome de Jesus

23/01/2019

Esse post é assinado por Eliel Goulart

Texto Áureo

“E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam.”

Verdade Prática

O relato do endemoninhado gadareno mostra a soberania absoluta de Jesus Cristo sobre o Diabo e seus domínios.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Marcos 5. 2 a 13

2 E, saindo ele do barco, lhe saiu logo ao seu encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo, 

3 o qual tinha a sua morada nos sepulcros, e nem ainda com cadeias o podia alguém prender. 

4 Porque, tendo sido muitas vezes preso com grilhões e cadeias, as cadeias foram por ele feitas em pedaços, e os grilhões, em migalhas, e ninguém o podia amansar. 

5 E andava sempre, de dia e de noite, clamando pelos montes e pelos sepulcros e ferindo-se com pedras. 

6 E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o. 

7 E, clamando com grande voz, disse: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Conjuro-te por Deus que não me atormentes. 

8 (Porque lhe dizia: Sai deste homem, espírito imundo.) 

9 E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? E lhe respondeu, dizendo: Legião é o meu nome, porque somos muitos. 

10 E rogava-lhe muito que os não enviasse para fora daquela província. 

11 E andava ali pastando no monte uma grande manada de porcos. 

12 E todos aqueles demônios lhe rogaram, dizendo: Manda-nos para aqueles porcos, para que entremos neles. 

13 E Jesus logo lho permitiu. E, saindo aqueles espíritos imundos, entraram nos porcos; e a manada se precipitou por um despenhadeiro no mar (eram quase dois mil) e afogou-se no mar.        

INTRODUÇÃO

A paz do Senhor!

Todos os versículos citados são da Almeida Revista e Corrigida. Quando de outra versão, a mesma é mencionada.

Os Evangelhos segundo Mateus, Marcos e Lucas narram o drama da libertação do endemoninhado gadareno, e também outros dois milagres extraordinários operados pelo Senhor Jesus: a cura da mulher com fluxo de sangue e a ressurreição da filha de Jairo. Então, considerando que os três evangelistas registraram estes três eventos, evidencia-se a importância de darmos atenção especial a eles, como advertiu o escritor da Carta aos Hebreus 2.1: “Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.”

Em nenhuma outra porção dos Evangelhos e do Novo Testamento, temos uma descrição tão impressionante do poder das trevas e também, contrapondo-se a este poder tenebroso, a vinda vitoriosa do Senhor Jesus.

Há três sentidos, pelo menos, nesta narrativa de Marcos capítulo 5. 1 a 20:

1 – Certeza

 Jesus é Todo Poderoso contra o mais alto grau de poder satânico.

Então, Ele tem autoridade contra os graus e degraus abaixo deste ápice de força maligna.

Temos certeza em Cristo Jesus de Seu poder libertador a favor dos que estão nos grilhões dos vícios pertinazes, dos que sofrem com a destruição de seus lares, dos que estão no cativeiro de crises tremendas.

João 8.36 – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

2 – Esperança

Esta narrativa pode ser aplicada à condição do homem em geral: de perdição no pecado. Romanos 7.24 – “Miserável homem que eu sou!”.

É possível ser um cidadão respeitável, com ótima instrução, aceito e admirado pela sociedade, mas continuar decadente cada vez mais na condição interior, na natureza de pecado, legalmente e moralmente culpado de transgressões, condenado a perecer separado de Deus.

João 3.6 e 7 – “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.”

Para esta insuportável condição de pecador, é que veio o Senhor Jesus.

Atos 4.12 – “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”

3 – Testemunho

Adolf Pohl (1927-), pastor batista na Alemanha, propõe que o endemoninhado e a sua libertação narrada em Marcos 1.21 a 28 aplica-se à condição geral do judaísmo. E Marcos 5.1 a 20 representa todo a condição do restante do mundo que não conhece a Deus. Ele enfatiza o fato da narrativa ser longa, a falta de ordem de silêncio aos demônios, a falta de informação da presença dos discípulos, da origem das roupas (versículo 15), as indicações geográficas (versículos 1 e 20) remetem ao ambiente mundano, tanto pela menção ampla da criação de porcos (versículos 11 ao 14) quanto à referência tríplice à imundícia no contexto (versículos 2, 8 e 13).

Comenta ainda que este homem representa a humanidade sem Deus, perseguido, oprimido, torturado, enlouquecido e arruinado por uma horda de espíritos imundos, e agora liberto pelo Senhor Jesus Cristo, dá certeza da Autoridade do Senhor, da esperança de salvação e de plena restauração para toda a humanidade.

I – A POSSESSÃO MALIGNA

1 – Harmonização nas narrativas

Proibida a cópia parcial ou total deste material – Sujeito a penas legais https://ebdcomentada.com

Mateus 8.28 a 34, Marcos 5.1 a 20 e Lucas 8.26 a 39.

Nestes textos temos aparentemente divergências de relato. Mateus cita dois endemoninhados. Marcos e Lucas citam um.

Mateus sempre é mais detalhista. Além de ter andado com o Senhor Jesus, haja vista que O serviu chamado como apóstolo.

Marcos e Lucas focaram no homem que mais chamara a atenção.

Outra aparente divergência está na localização geográfica. Marcos e Lucas referem-se à terra dos gerasenos – Marcos 5.1 e Lucas 8.26 (Almeida Revista e Atualizada), enquanto Mateus 8.28 indica a “província dos gadarenos”. Gerasa ou Gadara? Veremos com mais detalhes no Tópico IV, sub tópico 1.

2 – A opressão

Proibida a cópia parcial ou total deste material – Sujeito a penas legais https://ebdcomentada.com

Há diferença entre tentação, opressão e possessão.

Tentação – “Tentado não cedas, ceder é pecar,

Melhor e mais nobre, será triunfar.”

Diz-nos o início da primeira estrofe do Hino 75, da nossa amada Harpa Cristã, “Em Jesus Tens a Palma da Vitória.”

Tentação não é pecado. Ceder à tentação e consumar o pecado é grande problema para nós. Jesus “como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” – Hebreus 4.15b.

Tentação é uma proposta do Inimigo. Aceitamos ou não as oferendas dele, “…mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” – I Coríntios 10.13.

Tentação é o título da Lição 7 – A Batalha por nossas escolhas e atitudes – ainda nesta revista e neste primeiro trimestre de 2019.

Opressão – Em Atos 10.38 temos a expressão “oprimidos do diabo”.

Trata-se do verbo grego katadunasteuo, significando “dominar, sufocar, tratar duramente”. Trazer alguém para debaixo de seu domínio. É um ato de tirania. (Strong).

Portanto, entendemos que a opressão demoníaca é o ato do diabo exercer domínio contra alguém. No caso dos mundanos, que já estão vivendo na prática dos pecados, tornam-se servos em estado permanente de pecado, e tão somente o Senhor Jesus pode libertá-los.

A opressão contra o crente pode ocorrer temporariamente, quando este cede aos ataques dos Inimigo, em alguma área de sua vida. Tentando-o e enfraquecendo-o no seu testemunho, na sua consagração e devoção no serviço ao Senhor, influenciando seu testemunho negativamente, sua mente e sua conduta espiritual. 

Como vencer? Confissão e arrependimento restauram a comunhão com o nosso bendito Deus.

Provérbios 28.13 – “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.”

Possessão – trata-se da situação extrema de posse da pessoa, quando o diabo, seus anjos ou os espíritos demoníacos entram nela, com domínio completo de seu corpo e de sua mente. Diz-se dela que “tem demônio” ou “está endemoninhada.”

Quão grande risco está uma pessoa que se aprofunda na constante prática do pecado. Definhando na resistência, cede à posse do Inimigo.

Eles afligem as pessoas causando-lhes:

Insanidade – como o caso do gadareno – Mateus 8.28.

Mudez – Mateus 9.33 – “E, expulso o demônio, falou o mudo; e a multidão se maravilhou, dizendo: Nunca tal se viu em Israel.”

Cegueira – Mateus 12.22 – “Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via.”

Autoflagelo – Marcos 5.5 – “E andava sempre, de dia e de noite, clamando pelos montes e pelos sepulcros e ferindo-se com pedras.”

São apenas alguns resumidos exemplos dos males que causam.

3 – Um quadro estarrecedor

Pastor Eliel Goulart

Para continuar lendo esse esboço CLIQUE AQUI e escolha um dos nossos planos!

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos também que conquistamos uma parceria missionária com os seguintes trabalhos evangelísticos:

  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e continuar estudando a lição conosco…

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada

Postado por ebd-comentada


Acesse os esboços por categorias


Copyright Março 2017 © EBD Comentada