Esboços e subsídios para professores e vocacionados da EBD (Escola Bíblica Dominical)

Buscar esboços

CPAD Adultos – 1º Trimestre de 2018 – 11/02/2018 – Lição 6: Perseverança e fé em tempo de apostasia

07/02/2018

Este post é assinado por: Pastor Eliel Goulart

Texto Áureo

“Para que vos não façais negligentes mas sejais imitadores dos que, pela fé e paciência, herdam as promessas.” – Hebreus 6.12

Verdade Prática

Contra o perigo da apostasia, a Palavra de Deus revela a necessidade de ânimo e perseverança de fé.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Hebreus 6. 1 – 15

1  Pelo que, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, 

2  e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. 

3  E isso faremos, se Deus o permitir.

4  Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, 

5  e provaram a boa palavra de Deus e as virtudes do século futuro,

6  e recaíram sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus e o expõem ao vitupério. 

7  Porque a terra que embebe a chuva que muitas vezes cai sobre ela e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada recebe a bênção de Deus; 

8  mas a que produz espinhos e abrolhos é  reprovada e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada.

9  Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos. 

10  Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra e do trabalho de amor que, para com o seu nome, mostrastes, enquanto servistes aos santos e ainda servis. 

11  Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança; 

12  para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que, pela fé e paciência, herdam as promessas.

13  Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo, 

14  dizendo: Certamente, abençoando, te abençoarei e, multiplicando, te multiplicarei. 

15 E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa.

INTRODUÇÃO

Comentário do Blog

Paz do Senhor!

Todas as citações bíblicas são da Almeida Revista e Corrigida. Quando usamos outras, citamos a edição referida.

O capítulo 6 de Hebreus tem contundente exortação e advertência. Ele já antes dirigiu-se aos imaturos na fé, ainda agindo como crianças e precisando crescer à perfeição de adultos na fé.

Tendo a base doutrinária da fé, que é elementar, vamos crescendo e amadurecendo sobre fundamentos primários. Não é sadio uma vida espiritual de idas e vindas, de progresso e retrocesso, de subidas e recaídas.

O plano de Deus para nós é de bênçãos, tal qual, compara o escritor aos Hebreus, uma terra fértil, sobre a qual é semeada a Palavra de Deus, e o Senhor derrama chuvas a seu tempo. Não somos terra endurecida pela sequidão, ou um charco de lama que acumula entulhos. Somos terra fértil para o Senhor semear!

A advertência está acompanhada do bálsamo de consolação, exortando a sermos diligentes, perseverantes e fervorosos.

Mesmo diante de um capítulo 6 de incisiva advertência, das mais categóricas do Novo Testamento, somos instados a sermos perseverantes e vigilantes, pois o risco está diante dos indecisos e descuidados: a queda, às vezes fatal, da fé!

A exortação do escritor aos Hebreus não é de medo, de terror, de perturbação; ao contrário, e muito ao contrário, é de consolação na confiança completa no Senhor, e dizendo “os nossos olhos estão postos em Ti.” – II Crônicas 20.12.

Vamos crescer um pouco mais pelo estudo e meditação desta Lição 6, na fé, na perseverança em seguir ao Senhor e na muita confiança renovada na Palavra de Deus!

I – A NECESSIDADE DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL

1 – Indo além dos rudimentos doutrinários sobre arrependimento e fé

Comentário do Blog  

Atos 2.38 – “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.”

Este é o programa mínimo para ingressar na vida da Igreja. Arrependimento e fé para ser batizado nas águas em nome de Jesus Cristo, tendo os pecados perdoados, e prosseguindo na carreira e nas etapas da fé, buscando e recebendo o batismo com o Espírito Santo.

Pedro negou a Jesus por três vezes:

( 1 ) Lucas 22.54 a 57, para a criada do sumo sacerdote;

( 2 ) Marcos 14.69 a 71, negou pela segunda vez à mesma criada;

( 3 ) Mateus 26.73 a 74, pela terceira vez, para diversas pessoas.

Em João capítulo 21, o Senhor Jesus pergunta diretamente a Pedro, por três vezes se ele O amava – João 21. 15 a 17.

E por três vezes, ou seja, o mesmo número de vezes que Pedro negara conhecer ao Senhor Jesus, Pedro declarou publicamente a fé em Cristo Jesus no livro de Atos:

1 – Atos 2.14 – no dia de Pentecoste –  “Pedro, porém, pondo-se de pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.”

2 – Atos 3.12 – após o milagre operado em nome do Senhor Jesus, tendo o coxo andado perfeitamente – “E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude e santidade fizéssemos andar este homem?”

3 – Atos 4. 8 – diante do sinédrio. Aquele que antes negara a Jesus diante de uma criada, agora prega com ousadia diante dos senadores:  “Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo e vós, anciãos de Israel.”

Nas três vezes, por três diferentes mensagens, Pedro pregou o arrependimento e a fé.

1 – Atos 2.38 – “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.”

2 – Atos 3.19 – “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados…”

3 – Atos 4.12 – “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”

“Arrependei-vos…” – o arrependimento implica tristeza pelo pecado como cometido contra Deus, unido ao propósito de abandoná-lo. Não se trata de medo do pecado e da visão horrenda do inferno. Antes, é uma visão do pecado, como um mal em si, levando o pecador a odiá-lo e a abandoná-lo.

O falso arrependimento teme as consequências do pecado. O verdadeiro arrependimento teme o próprio pecado.

Há pessoas que se sentem alarmadas com a pregação do Evangelho Pleno, sentindo medo da ira de Deus, ou seja, apenas medo do castigo. O arrependimento genuíno é abandonar o pecado e odiá-lo como algo mau e amargo para a alma. Sentindo tristeza pelo pecado.

E conjuntamente ao arrependimento, há a fé salvadora.

Marcos 16.16 – “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”

A fé inclui:

1 – Crer no Senhor Jesus Cristo;

2 – Arrependimento – dar as costas ao pecado e voltar-se exclusivamente a Deus por Cristo Jesus;

3 – Obediência – tanto sem fé quanto sem santificação, é impossível agradar a Deus.

2 – Indo além dos rudimentos doutrinários sobre batismos e imposição de mãos

Comentário do Blog

Hebreus 6.2 – “E da doutrina dos batismos, e da imposição de mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno.”

Acredita-se que o escritor busca caracterizar o batismo cristão em contraste com as lições de batismos judaicas.

Se os filhos de Arão, antes de serem investidos com as vestes sacerdotais, ou entrarem nas funções de seu ofício sagrado, mergulhavam nas águas cerimoniais; se o prosélito convertido ao judaísmo, antes de tomar lugar juntos aos adoradores no Templo, ou que foi naturalizado entre quaisquer das tribos de Israel, sempre fez o mesmo; se o judeu que tivesse contraído impureza legal contraindo lepra, tivesse tocado um morto ou contato com qualquer outra coisa vedada, sempre fez o mesmo; se, na ocasião, a realização das cerimônias que selaram o direito do leproso recuperado a ser recebido de novo entre a sociedade, o sacerdote mergulhava a pombinha na água e, em seguida, atirava-a para os ares, para que ela subisse conforme o destino que quisesse.  Enfim, se estes e outros batismos fossem administrados sob a Lei de Moisés, todos estes batismos possuíam uma doutrina, e tal doutrina ensinava por primeiro, que a nossa natureza, e toda a nossa natureza, precisava ser limpa para estar na presença de Deus.

A doutrina do batismo, no entanto, não diz somente que o homem é vil. Ensinava que Deus é misericordioso.

Quanto a imposição de mãos, foi prescrito no Antigo Testamento, no serviço levítico, que quando trouxesse seu sacrifício para o Altar, ele colocava sua mão sobre a cabeça do animal a ser sacrificado, apoiando sobre ele todo seu peso. Enquanto estava de pé, com a mão posta sobre a cabeça da vítima, e o seu rosto direcionado para o Templo, ele repetia a frase: “Ó Senhor, eu pequei, fiz com perversidade ( e nomeava mentalmente ou audível, os pecados específicos dos quais havia sido culpado recentemente, e para os quais pedia perdão agora ): “Eu fiz assim e assim, mas volto por arrependimento, para Ti, e seja essa a minha expiação.” Se várias pessoas estivessem unidas nessa representação, então cada uma sucessivamente colocava sua mão sobre a vítima e, cada um por sua vez, oferecia tal oração. No grande Dia da Expiação, o sumo sacerdote fazia o mesmo em nome de todas as pessoas, as quais representava oficialmente. Ele colocava sua mão sobre as várias vítimas que seriam oferecidas em sacrifício, e mais especialmente sobre o bode expiatório, como se carregasse que haviam sido confessados sobre ele, sendo levado para longe da multidão, até que desaparecessem no horizonte do deserto – o condutor e o animal. Que, então, ficava além como terra de maldição.

Isto não era uma simples cerimônia, mas uma doutrina. Uma pregação que transmitia a doutrina, e esta era que aquele que seria salvo deve, por seu próprio ato e ação pessoal, daquele que é nosso Salvador, o nosso Substituto, através de sua obra vicária ( substitutiva ).

As duas doutrinas básicas, ditas neste versículo de Hebreus 6.2, são atos exteriores de um rito cultual. Referimo-nos, claro, ao batismo e a imposição de mãos, que conforme exposto acima, tem o seu paralelo no judaísmo, com como transparece, com significado diferente ao serem inseridos na prática cristã.

“Doutrina dos batismos”, no plural, porque várias purificações, chamadas em algumas traduções de “abluções” são lembradas neste versículo. Não somente um ato singular como no Novo Testamento.

No judaísmo era mesmo uma ideia de lavagem. No cristianismo, na vida da igreja, deste a Primitiva, era batismo. Por imersão. No judaísmo, eram lavagens cultuais. No cristianismo, testemunho público de que morreu para o mundo, e ressurgiu para a nova vida em Cristo Jesus.

A imposição de mãos, na prática de culto judaico, era associada com a transmissão de aspectos rituais, porém na vida da igreja adquiriu outro sentido.

No Novo Testamento está ligada à cura:

“…e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” – Marcos 16.18.

“Aconteceu estar de cama enfermo de febres e disenteria o pai de Públio, que Paulo foi ver, e, havendo orado, pôs as mãos sobre ele e o curou.” – Atos 28.8.

Está ligado também a receber dons:

“Então, lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo.” – Atos 8.17.

“Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram.” – Atos 13.3.

“E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam.” – Atos 19.6.

“Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério.” – I Timóteo 4.14.

Está ligado a separação para o ministério e missões especiais:

“E os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.” – Atos 6.6.

“Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram.” – Atos 13.3.

Esta última imposição de mãos, era sempre feita por autoridade delegada por Deus, e não pelos crentes em geral.

Por outro lado, aconselho que estejamos atentos para pessoas de caráter, testemunho e vida de fé duvidosas, não nos toquem com a intenção de, impondo as mãos, ministrar algo. Malaquias 2.1 a 9, tem uma advertência séria: “…enviarei a maldição contra vós e amaldiçoarei as vossas bênçãos.” – versículo 2.

E a imposição de mãos em termos ministeriais, não pode ser precipitada, como para determinar a nossa vontade própria, para atender demandas convencionais ou agradar grupos na igreja, e em grau de grande gravidade, atender interesses próprios para pôr algum parente na linha sucessória do pastor da igreja. Estas precipitações são causas de tristes prejuízos.

“A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro.” – I Timóteo 5.22.

Pastor Eliel Goulart

COMUNICADO IMPORTANTE

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos também que conquistamos uma parceria missionária com os seguintes trabalhos evangelísticos:

  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e ainda continuar estudando a lição conosco…

Decidimos unir o Ensino com Missões e assim, alavancar recursos financeiros para contribuir com esses projetos.

Cada um de nós poderemos contribuir com o site ebdcomentada.com e com as obras de missões citadas, realizando o cadastro como assinante e escolhendo o plano que achar conveniente.

Optamos por oferecer valores acessíveis para que todos continuem a desfrutar dos nossos esboços e ao mesmo tempo AJUDAR a obra missionária, portanto a EBD Comentada, juntamente com você estará ao mesmo tempo ENSINANDO e FAZENDO MISSÕES.

Contamos com a ajuda de todos para mantermos este trabalho que tem auxiliado milhares de professores no Brasil e no mundo.

“Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19 – ARC).

Qualquer dúvida referente aos planos ou mesmo depois de adquiri-lo, surgir algum problema, entre em contato conosco (contato@ebdcomentada.com.br)

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada

Postado por Cláudio Roberto


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada