Ensinando e fazendo Missões

Buscar no blog

Nossos Esboços Recentes

Betel Adultos – 1º Trimestre de 2019 – 17-02-2019 – Lição 7: Reconhecer e lidar com casos de bipolaridade

13/02/2019

Este post é assinado por Cláudio Roberto de Souza

TEXTO ÁUREO

Provérbios 8:12

12 Eu, a Sabedoria, habito com a prudência e acho a ciência dos conselhos. (ARC)

TEXTO DE REFERÊNCIA

Salmos 42:1,2,5,6

1 Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!

2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?

3 As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, porquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?

4 Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão; fui com eles à Casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava.

5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença.

6 Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; portanto, lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde o Hermom, e desde o pequeno monte. (ARC)

OBJETIVOS DA LIÇÃO

  • Mostrar o que é bipolaridade;
  • Ensinar como identificar as características da bipolaridade;
  • Apresentar a similaridade dos sintomas.

INTRODUÇÃO

Paz seja convosco nobres ensinadores(as)!

Neste ponto do estudo sobre as enfermidades da alma, iremos abordar aquele que é conhecido como o Transtorno Bipolar; caracterizado por alterações comportamentais, fazendo que o individuo varie entre momentos de felicidade e depressão repentina, isto é, as chamadas “oscilações de humor” que infelizmente trazem grandes prejuízos, inclusive de relacionamento.

1 – CONHECENDO O QUE É BIPOLARIDADE

O Transtorno Bipolar é a doença psiquiátrica mais associada a suicídios, e atinge cerca de 3% da população mundial. Além disso, os pacientes diagnosticados com o transtorno, costumam viver 11 anos a menos que a população em geral. Considerada uma gangorra emocional, a doença é caracterizada por alternâncias de períodos de depressão e mania: o ânimo da pessoa afetada oscila de um extremo ao outro, em reações desproporcionais aos fatos da vida ou até mesmo sem um motivo aparente; fugindo do controle.

Apesar de no uso comum a palavra bipolar ser usada no sentido de “instável” ou “desequilibrado(a)”, em termos médicos ela quer dizer algo bem diferente disso. A psiquiatria defini o Transtorno Bipolar como sendo uma perturbação mental caracterizada pela alternância entre períodos de depressão e períodos de ânimo intenso.

O Dr. Diego Tavares afirma que o Transtorno Bipolar, também conhecido como transtorno afetivo bipolar ou doença maníaco-depressiva, é um transtorno psiquiátrico, na maioria das vezes grave, de evolução crônica e curso cíclico ou recorrente. Isso quer dizer que, uma vez feito o diagnóstico por um médico psiquiatra, é importante que o paciente saiba, que apesar de a doença não ter cura, tem controle e que para isso vai requerer o uso de medicamentos que atuam na instabilidade do humor chamados de estabilizadores do humor além das medidas não farmacológicas essenciais para o adequado controle da doença.

Logo, em suma, é o Transtorno Maníaco-Depressivo como sendo um distúrbio mental caracterizado sobretudo pela alternância do humor nas pessoas.

O Bipolar vai de um extremo ao outro das emoções de uma forma bem profunda. Como afirma o pastor Israel Maia, quando o indivíduo, vítima deste transtorno está na fase denominada Mania ou Hipomania pelos psiquiatras, ele tende a uma felicidade abundante (sempre acima da normalidade); e quando está na fase depressiva, ele mergulha em tristeza profunda que pode leva-lo a depressão.

1.1 – Como se apresenta a bipolaridade

Proibida a cópia parcial ou total deste material – Sujeito a penas legais – https://ebdcomentada.com

É normal que os acontecimentos da vida alterem o humor e o estado emocional das pessoas. Quando algo bom acontece, por exemplo, ficamos alegres — da mesma forma como nos sentimos tristes quando há algum acontecimento ruim. Em pessoas com bipolaridade, o humor pode oscilar de forma independente do que acontece ao redor, suas reações são imprevisíveis e geralmente desproporcionais.

Quando alguém morre, é natural que uma pessoa fique triste. O bipolar, porém, pode entrar numa crise de euforia, ficar “elétrico” e até se sentir muito bem com a situação. Isso não acontece porque o bipolar não gostava do falecido, mas o estresse desencadeou uma instabilidade emocional.

Para os psiquiatras, uma pessoa é bipolar quando apresenta um comportamento no qual ocorrem, com certa frequência, variações entre períodos de bom humor, irritabilidade e tristeza. Essas mudanças podem ocorrer em algumas fases: a mania e hipomania, onde a pessoa estará muito feliz e com os ânimos elevados e a depressiva, onde estará muito triste.

As fases conhecidas do Transtorno Bipolar é fonte de auxílio para a identificação da enfermidade no indivíduo, pois alguns dos sintomas corrobora para tal discernimento. Segundo o pastor Israel Maia, quando os sintomas de cada fase se sobrepõem, dá-se o nome de estado misto, já que os sintomas de uma fase e outra (mania, hipomania e depressiva) se misturam ou ocorrem simultaneamente.

Vejamos os conceitos básicos de cada fase:

Fase mania

Apresenta um estado de euforia exuberante, com valorização da autoestima e da autoconfiança, pouca necessidade de sono, agitação psicomotora, descontrole ao coordenar as ideias, desvio da atenção, compulsão para falar, aumento da libido, irritabilidade e impaciência crescentes, comportamento agressivo, mania de grandeza. Nessa fase, o paciente pode tomar atitudes que reverterão em danos a si próprio e às pessoas próximas, como demissão do emprego, gastos descontrolados de dinheiro, envolvimentos afetivos apressados, atividade sexual aumentada e, em casos mais graves, delírios e alucinações.

Fase Hipomania:

Os sintomas são semelhantes aos da mania, porém bem mais leves e com menor repercussão sobre as atividades e relacionamentos do paciente, que se mostra mais eufórico, mais falante, sociável e ativo do que o habitual. Em geral, a crise é breve, dura apenas uns poucos dias. Para efeito de diagnóstico, é preciso assegurar que a reação não foi induzida pelo uso de antidepressivos.

Fase depressiva

A fase de depressão é caracterizada por uma tristeza persistente e que parece interminável. A pessoa tem uma visão negativa sobre si mesma, em relação ao mundo e ao futuro. O depressivo só consegue se lembrar das coisas negativas, e não acredita que coisas boas possam acontecer.

Episódio misto

No episódio misto os sintomas da mania ou hipomania e da depressão se misturam. A aceleração e o excesso de energia da mania e hipomania se confundem com os sentimentos e pensamentos negativos da depressão. A angústia leva ao desespero, como se a pessoa estivesse em um beco sem saída. É uma das fases que pode dar coragem à pessoa a cometer suicídio, pois o sofrimento é muito grande.

O Dr. Diego Tavares acrescenta que, embora a mania eufórica seja a forma mais clássica descrita, o indivíduo com episódio misto de Transtorno Bipolar, pode apresentar nestes quadros intensa irritabilidade, intolerância às opiniões alheias, impaciência, dificuldade de se acalmar e muitas vezes agressividade. Os indivíduos se queixam de raiva sem motivo e vontade de agredir verbal ou fisicamente quem os importuna. Em uma parcela de indivíduos aparecem também sintomas psicóticos como alucinações auditivas (vozes dentro da cabeça dizendo coisas positivas ou negativas) e crenças delirantes (indivíduo acredita ser alguém importante ou ser capaz de coisas pouco prováveis ou de difícil realização).

Veja o quadro adiante contendo as fases da bipolaridade e seus respectivos e principais sintomas:

Vale destacar a opinião do psiquiatra Pérsio Ribeiro Gomes de Deus: “é importante salientar que humor linear, totalmente equilibrado, é algo basicamente que ninguém tem. Todos apresentamos oscilações em nosso estado de humor devido a fatores externos e até a fatores de ordem interna (como a TPM nas mulheres). Entretanto estas oscilações não configuram necessariamente em um quadro de bipolaridade. Não raro podemos acordar bem, e ao final da tarde estarmos de mau humor. Essa oscilação ao longo de um dia não é transtorno bipolar.

O conceito de bipolaridade consiste na permanência no estado de euforia ou sintomas depressivos por um período superior a três semanas e de forma constante e progressiva, o que não raro pode levar à uma internação para tratamento”.

Somente um médico psiquiatra qualificado poderá fazer o diagnóstico corretamente.

Como agora é sabido que nem todos os momentos que nos sentimos angustiados, ou de mau humor estamos absorvidos pelo Transtorno Bipolar, é importante recorrermos ao auxílio da Palavra de Deus a fim de nos reerguermos emocionalmente.

Salmos 42:5-6

5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença.
6 Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; portanto, lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde o Hermom, e desde o pequeno monte. (ARC)

Este Salmo está associado ao posterior (Sl 43) e segundo Warren W. Wiersbe, está claro que o autor era um levita exilado no meio dos gentios (Sl 43:1) que o oprimiam e questionavam sua fé (Sl 42:3,10; 43:2). Era um líder espiritual que havia conduzido grupos de peregrinos a Jerusalém para as festas prescritas (Sl 84:7; Êx 23:14-17; 34:18-26; Dt 1 6:1-1 7). Era tempo de fazer essa jornada novamente, mas ele não podia ir; seu coração estava entristecido por sentir que o Senhor havia se esquecido dele (Sl 42:9; 43:2).

No Salmo 42, o autor usa as designações “El” ou “Elóim” vinte vezes e o nome Jeová (Senhor) apenas uma vez (Sl 42.8). Trata-se de cânticos extremamente íntimos, contendo mais de cinquenta pronomes pessoais, e nos quais se pode observar o salmista oscilando entre a fé e o desespero em seu conflito com o Senhor. Ele questiona a Deus 11 vezes e se pergunta por que o Senhor não faz alguma coisa por ele.

Observando o texto podemos destacar: primeiro o salmista observa o estado da alma e com ela conversa, isto é, fala consigo mesmo e aconselha o seu interior a esperar em Deus, por segundo o salmista agora se dirige ao próprio Deus a fim de expor o estado da sua alma. Ele encerra tanto o Salmo 42 como o 43 se dirigindo novamente a sua alma e perguntando: “Por que estás abatida, ó minha alma? E por que te perturbas dentro de mim?” (Sl 42.11; Sl 43.5) e responde com uma sonora esperança que aquele estado era passageiro e que iria retornar a Sua casa para ali adorar o seu Deus e o Deus da sua salvação!

O cristão deve ter a mesma esperança do salmista quando se achar em tempos angustiosos; quando a alma se deprimir e estar debilitada devemos dar atenção a ela e ao mesmo tempo apresentar a Deus a aflição (oração). Uma vez confortados pelo Senhor, devemos falar para a nossa alma se tranquilizar porque o Senhor já nos ouviu e certamente nos socorrerá – o estado de angustia sempre será momentâneo.

O mesmo vale para aqueles que estão passando pela fornalha da aflição. Nossas palavras de consolo e de ânimo pode muito valer nestes casos, e se a situação requerer tratamento médico, assumimos o papel de conduzir o indivíduo para tal, sempre com atitude de genuína compaixão, oração e diretrizes do alto.

1.2 – Tipos de bipolaridade

Proibida a cópia parcial ou total deste material – Sujeito a penas legais – https://ebdcomentada.com

O termo “BI” significa “dois”, logo a bipolaridade, como vimos, é a variação do temperamento ou do estado de humor do indivíduo acometido pela doença em dois extremos distintos, ou seja, ele apresenta uma instabilidade em seu ânimo que ora está eufórico, ora está deprimido. Este último é muito perigoso, já que a mente enferma do indivíduo se torna suscetível a raciocínios e reflexões perturbadoras que podem levar a sua destruição.

Segundo o psiquiatra, Dr. Pérsio, os transtornos bipolares podem ainda se apresentar em alguns tipos específicos de quadros clínicos:

Transtorno bipolar tipo 1: pacientes apresentam pelo menos um episódio maníaco e períodos de depressão profunda. Antigamente, o transtorno bipolar do tipo 1 era chamado de depressão maníaca;

Transtorno bipolar tipo 2: pacientes nunca apresentaram episódios maníacos completos. Em vez disso, elas apresentam períodos de níveis elevados de energia e impulsividade que não são tão intensos como os da mania (chamado de hipomania). Estes episódios se alternam com episódios de depressão.

Ciclotimia: Uma forma leve de transtorno bipolar que envolve oscilações de humor menos graves. Pessoas com essa forma alternam entre hipomania e depressão leve. As pessoas com transtorno bipolar do tipo II ou ciclotimia podem ser diagnosticadas incorretamente como tendo apenas depressão.

O pastor Israel Maia, lança mão do texto contido no Salmo 32 (salmo penitencial) para descrever a possibilidade de a bipolaridade existir em ocasiões que o cristão peca e esconde o seu pecado. O sintoma detectado ao ler o Salmo se acha no versículo 4:

Salmos 32:4

4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá) (ARC)

O humor de Davi é comparado a uma seca em pleno verão (“sequidão de estio”), e a alteração do humor é um dos sintomas da bipolaridade.

Os pecados não confessados podem causar comportamentos similares de quem possui o Transtorno da Bipolaridade, pois o cristão poderá estar alegre em um instante e por ocasião do peso da mão dos Senhor sobre ele (lhe cobrando a confissão para o salvar), o seu humor se converterá em repentina tristeza.

Assim como Adão e Eva (Gn 3.8), Davi tentou “encobrir” seus pecados, mas não foi bem-sucedido. Trata-se de um expediente que nunca funciona (Pv 28.13), pois quando Deus cobre os pecados que lhe confessamos, esses são lançados fora para nunca mais serem vistos (Is 38.17; 43.25; 44.22; Jr 31.34; Mq 2.18,19; 1 Jo 1.7-9).

Wiersbe afirma que no Dia da Expiação, o sumo sacerdote aspergia o sangue do sacrificio sobre o propiciatório e, com isso, cobria os pecados que o povo havia cometido.

“Imputar” (Sl 32.2) tem o sentido de “atribuir” e, nesse caso, é usado como um termo de contabilidade, que significa “colocar na conta”, “acrescentar ao registro”. Quando confessamos nossos pecados, Deus cancela a dívida e a remove de seus registros. Essas dívidas “não contam mais”, pois Jesus Cristo pagou por elas na cruz, e seu sangue limpa todo o registro, bem como o coração do transgressor.

O perdão do Senhor é, sem dúvida alguma, motivo para cânticos. Infelizmente, muitos filhos de Deus não dão o devido valor a essa benção e desta forma, estão sujeitos as alterações do humor, mas que não constituem Transtorno Bipolar, impedindo que experimentem a alegria do Senhor em suas vidas (Sl 32.7).

1.3 – Ajudando nossos irmãos

Por Cláudio Roberto de Souza

Para continuar lendo esse esboço CLIQUE AQUI e escolha um dos nossos planos!

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos também que conquistamos uma parceria missionária com os seguintes trabalhos evangelísticos:

  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e continuar estudando a lição conosco…

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada

Postado por ebd-comentada


Acesse os esboços por categorias


Copyright Março 2017 © EBD Comentada