Ensinando e fazendo Missões

Buscar esboços

Nossos Esboços

Betel Adultos – 1º Trimestre de 2017 – 26/03/2017 – Lição 13: Os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia

23/03/2017

Este post é assinado por: Cláudio Roberto

TEXTO de REFERÊNCIA

2 Timóteo 3:1-5
1 Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos;
2 porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
3 sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
4 traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
5 tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. (ARC)

TEXTO ÁUREO

Hebreus 12:1
1 Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, (ARC)

INTRODUÇÃO

O apóstolo Paulo está preso em Roma e aguarda a sua sentença de morte. Da prisão ele escreve a segunda carta pastoral a Timóteo. Não é uma carta escrita as igrejas, mas uma carta individual , uma mensagem de pastor para pastor.
Trata-se dos últimos conselhos de um homem vivido e experimentado na obra de Deus para um obreiro jovem, tímido e iniciante.

O que ele passa a escrever no capítulo 3 de II Timóteo é sombrio. Faz-nos parecer que Deus coloca sob os olhos de Paulo uma luneta profética que o permite vislumbrar séculos e milênios a frente do seu tempo. Paulo vê o futuro da geração que viveria os últimos dias da igreja na terra. Paulo, vê as caraterísticas da nossa geração.

1 – A MALIGNIDADE DA GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Os dias são penosos para os que se dedicam a servir a Deus com integridade, sinceridade, retidão e fidelidade.

2 Timóteo 3:10-12
10 Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência,
11 perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou.
12 E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições. (ARC)

São tempos em que se requer uma liderança austera, sóbria, temperada e bem cravada na verdade revelada na Escritura; que não se desviam nem para a direita e nem para a esquerda, mas a retidão é a sua vereda.

No texto de referência desta lição, percebe-se que o apóstolo Paulo tem uma preocupação acentuada com os hereges que estão comercializando uma mensagem divergente e contrária ao verdadeiro evangelho. Tais hereges semeiam confusões e desavenças no reino e muitos têm um estilo de vida moralmente questionável.

Naquele tempo os hereges, tentavam anexar ao evangelho as práticas judaizantes e a filosofia gnóstica.

1 João 5:19
19 Sabemos que somos de Deus e que todo o mundo está no maligno. (ARC)

O domínio de Satanás neste mundo é crescente. O mundo, ou seja, os sistemas políticos, econômicos, sociais, religioso, a arte, a música, as indústrias de entretenimento, a literatura, a falsa ciência, e outros, estão imersos em Satanás e dele advém as ideologias e filosofias que contrapõe as verdades reveladas na Bíblia.

Apesar de que a moral e a ética sempre tiveram valores relativos, elas nunca estiveram em níveis tão baixos como em nosso tempo. Há um engajamento deste mundo contra os valores morais ensinados na Escritura. A verdade é que existem movimentos que trabalham em prol da legalização daquilo que é incorreto, daquilo que é considerado pela Palavra de Deus como errado, aquilo que a Bíblia rotula como pecado. O aborto, a eutanásia, a legalização das drogas, o casamento homossexual, são exemplos claros de legitimar o erro. Hoje existem papéis que sancionam o pecado em nossa sociedade e até igrejas estão aderindo a essas propostas infernais.

2 Timóteo 3:1
1 Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos;

A palavra último no grego é eschatos e dá o sentido de proximidade, aquilo que está mais distante, o final com relação a lugar ou tempo; fim de alguma coisa ou últimas a acontecer. É o extremo mais distante com relação a lugar e tempo.

A palavra tempo no grego é kairós, é momento certo ou oportuno de algo vir a acontecer. Não está no controle humano, pois trata-se do tempo de Deus.

Ou seja, no tempo estabelecido por Deus (kairós), tempo este que se apresenta como últimos dias (eschatos), Paulo apresenta uma lista negra contendo as características dos homens deste período.

Para John N.D. Kelly, os últimos dias denotam o período pouco antes da parousia (palavra grega que significa a segunda vinda de Cristo) e o fim da era presente.

Para Calvino, os últimos dias são uma referência à condição universal da igreja Cristã. Trata-se de uma descrição do presente e não apenas do futuro. A história da igreja, confirma que tem sido assim.

Para John Stott, quando o navio da igreja foi posto no mar, não lhe foi dito que esperasse uma travessia serena e calma; ao contrário, tem sido golpeada por tormentas, tempestades e até furacões. Ele acompanha o pensamento de Calvino.

Barclay esclarece dizendo: “Os judeus dividiam o tempo entre esta era presente e a era por vir. Esta era presente é totalmente má; e a era por vir é a era de ouro de Deus. Entre ambas as eras, estavam o dia do Senhor. Esse dia do Senhor seria precedido por uma época de terror; uma época na qual o mal se uniria para um assalto final; uma época em que o mundo seria sacudido até seus fundamentos morais e físicos”.

Aquilo que na época do apóstolo Paulo e da igreja primitiva era apenas pincelado, nos últimos dias ganharia contornos fortes e expressivos.

Esse tempo não será fácil de ser vivido. Para o Reverendo Hernandes Dias Lopes, esses dias serão furiosos e violentos.
Paulo emprega o termo grego chapepos, o mesmo usado para descrever os endemoninhados Gadarenos que estavam furiosos.

Mateus 8:28
28 E, tendo chegado à outra margem, à província dos gadarenos, saíram-lhe ao encontro dois endemoninhados, vindos dos sepulcros; tão ferozes eram, que ninguém podia passar por aquele caminho. (ARC)

Para Warren Wiesber, isso indica que a violência dos últimos dias será incitada pelos demônios.

1 Timóteo 4:1
1 Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, (ARC)

No grego clássico, o termo é empregado em referência a perigosos animais selvagens e também ao mar violento. Ainda se aplica a conjunção ameaçadora dos corpos celestes. Esse tempo do fim é uma época de terrível florescimento do mal em que todos os alicerces éticos e morais serão abalados. É uma confrontação com as forças do maligno. É como se o mundo se tornasse ainda mais mundano.

John Stott reitera afirmando que esse tempo é marcado por uma ativa oposição ao evangelho.

Dito isso, Paulo, começa então a descrever quais são as principais características da sociedade dos últimos dias.

1.1 – Homens amantes de si mesmos

2 Timóteo 3:2
2 porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,

O verbo haver para identificar as características dos homens dos últimos dias está no futuro – “HAVERÁ”. Denotando claramente que Paulo antevê ou antecipa uma geração vindoura. Paulo viu os nossos dias.

Homens amantes de si mesmos é a primeira característica mencionada por Paulo e a palavra utilizada aqui para a expressão amantes de si mesmos é filautós que significa egoísta.

O egoísmo é um amor próprio excessivo, exagerado e ilimitado; que leva a pessoa a olhar só para os seus próprios interesses e necessidades. Não valoriza outros ou os considera. Em tudo priorizam a sua própria vaidade pessoal em detrimento até mesmo da obra de Deus.

Eles são desprovidos de amor, pois o amor como bem disse o mesmo Paulo, não busca seus interesses.

1 Coríntios 13:5
5 não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; (ARC)

Existe um termo utilizado para caracterizar alguém que possui o amor próprio fora dos limites – Narcisismo.

Tal termo é oriundo da mitologia grega e foi introduzida na psiquiatria no final do século XIX por Havelock Ellis para descrever uma forma de sexualidade baseada no próprio corpo do indivíduo.
O narcisismo é atualmente um conceito na teoria psicanalítica, introduzido por Sigmund Freud em seu livro Sobre o narcisismo. A Associação Americana de Psiquiatria o classifica como Transtorno de personalidade narcisista, em seu Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM). Freud acreditava que o narcisismo existe quando a libido está direcionada para si próprio.
Narcisismo vem do mito grego de Narciso, um bonito jovem e indiferente ao amor que ao se ver refletido na água apaixonou-se pela própria imagem refletida.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Narcisismo

Dizemos daqueles que são amantes de si mesmos que também são narcisistas.

É o teólogo Willian Barclay quem afirma que o egoísmo é a fonte de todos os outros pecados.

No momento em que a pessoa torna a sua vontade e o seu desejo o centro de sua vida, ele também destrói a sua relação com Deus e com o próximo.

O homem amante de si mesmo, confronta o segundo mandamento exposto por Jesus.

Mateus 19:19
19 honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. (ARC)

Mateus 22:35-40
35 E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo:
36 Mestre, qual é o grande mandamento da lei?
37 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
38 Este é o primeiro e grande mandamento.
39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
40 Desses dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. (ARC)

Em nenhum lugar das escrituras, encontraremos apologia ao amor próprio exacerbado, mas comedido e baseado no valor que Deus nos dá através da sua graça e não em valor que nós mesmos atribuímos ou julgamos possuir, seja por méritos, formação ou qualquer outra coisa.

Romanos 12.3
3 Por isso, pela graça que me foi dada digo a todos vocês: Ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, ao contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu. (NVI)

Deste modo, a Palavra de Deus não se ocupa em apresentar ao homem um amor egocêntrico, mas cristocêntrico e que bem quer o seu semelhante.

Ressalto ainda, que a segunda característica destacada no texto é: AVARENTO.
Tal palavra significa amantes do dinheiro. Amantes de si mesmos e amantes do dinheiro, tem igualmente o prefixo phil em grego. A avareza é fruto do egoísmo.

Não pouco são os homens que se “dedicam” a obra de Deus visando a recompensa terrena, amando a si mesmo e a Mamon.

1 Timóteo 6:10
10 Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. (ARC)

1.2 – Homens presunçosos e soberbos

2 Timóteo 3:2
2 porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, (ARC)

J.N.D. Kelly escreve que apesar das palavras presunçosos e soberbos expressarem aspectos diferentes, elas são correlatas do orgulho que brota do egocentrismo. Enquanto a expressão “presunçosos” tem a ver com palavras, gestos e o comportamento externo, a palavra “soberbos” no texto, corresponde a sentimentos interiores.

O presunçoso é o homem vaidoso, jactante, cheio de si mesmo, o famoso convencido. A palavra grega para descrevê-lo no texto é alazon, cujo significado é: Fanfarrões ou gabolas! Eles sempre querem parecer melhores que os outros. Anunciam aos quatro ventos quão virtuosos e bons são. Tem uma leitura acerca deles mesmos extremamente exagerada e se apresentam mais do que realmente são.

Xenofonte, foi soldado, mercenário e discípulo do filósofo Sócrates. Este diz que a palavra grega alazon era usada em alusão àqueles que pretendem ser mais ricos do que são, mais valentes do que são e que prometem fazer o que não podem cumprir.

Provérbios 24:1-2
1 Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles,
2 porque o seu coração medita a rapina, e os seus lábios falam maliciosamente. (ARC)

O soberbo demonstra ter sentimentos que na verdade não possui. O seu coração engana e o seu íntimo só pode ser descoberto por Deus. São classificados pela Palavra do Senhor como homens malignos, portanto são perigosos para o convívio, logo somos orientados a nos afastarmos dos tais.

2 Timóteo 3:5
5 tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. (ARC)

A presunção caminha de mãos dadas com a soberba pois são semelhantes, são equivalentes, são irmãs.

Provérbios 6:16-17
16 Estas seis coisas aborrece o SENHOR, e a sétima a sua alma abomina:
17 olhos altivos, e língua mentirosa, e mãos que derramam sangue inocente, (ARC)

Esses são aqueles a quem Deus, aborrece e abomina. Nunca chegam a lugar algum, pois o próprio Deus, os resiste.

A própria soberba será a pá que cavará a sua sepultura ou a corda que fará o laço para a sua própria forca.

Tiago 4:6b
6 …Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes. (ARC)

1 Pedro 5:5
5 Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. (ARC)

Provérbios 16:18
18 A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. (ARC)

Note que o obreiro que atende aos requisitos de sua vocação, não pode ser achado nele a soberba, pois assim estará reprovado!

Tito 1:7
7 Porque convém que o bispo seja irrepreensível como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância; (ARC)

1.3 – Homens desobedientes aos pais

2 Timóteo 3:2
2 porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, (ARC)

Estamos presenciando a degradação da família e Paulo não isentou este ponto de sua previsão acerca dos últimos dias.
Os mais valiosos valores familiares estão sendo massacrados por uma convulsão social em que pais e filhos estão cada vez mais distantes.
Trata-se de uma conduta desnaturada, ou seja, contrária a natureza; cuida ainda daquilo que é desumano, ou seja, um comportamento irracional.

Deus estabeleceu como o filho deve agir com seus pais.

Êxodo 20:12
12 Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá. (ARC)

A honra aos pais é o quinto mandamento e o primeiro que está vinculado a uma promessa. Promessa de longevidade nesta terra.

O objetivo de Deus em estabelecer o quinto mandamento, foi dar sustentabilidade a estrutura familiar e definir a ordem civil, começando pelo respeito na menor unidade social – a família.

Os mestres judeus têm uma interpretação interessante sobre este mandamento, pois a mesma Torá (pentateuco) que diz ao homem que deve honrar a teu pai e mãe, também diz que deve honrar a Deus. Desta forma, honrar os pais é equivalente a honrar a Deus, pois o homem é coparticipante da geração da vida humana. Quando alguém nasce, explica eles, os pais estão atuando em uma parceria com Deus na geração da vida: a substância material é derivada dos pais, porém Deus concede espírito e alma, a forma vital do homem.

Honrar o pai e a mãe não é uma sugestão divina, mas uma ordenança.

Efésios 6:1-3
1 Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.
2 Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa,
3 para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. (ARC)

O verbo obedecer em Efésios está na voz ativa, denotando que neste texto, aqueles que devem obedecer (os filhos), são pessoas que gozam de plenas faculdades intelectuais, sendo moralmente livres para assumirem uma responsabilidade diante de Deus.

2 – A ESCÓRIA DE UMA GERAÇÃO

Se a família já apresenta uma deterioração moral, o que dizer de uma sociedade constituída de pessoas destituídas de afeto natural, que são irreconciliáveis, caluniadoras, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons? Espera-se um apodrecimento generalizado!

Somente esses adjetivos seriam suficientes para nos alarmar, no entanto o comentarista da revista se restringe a dar maiores detalhes de outros três adjetivos: Amigos dos deleites e inimigos de Deus; aparente piedade e aqueles que sempre estão aprendendo, mas que nunca alcançam o conhecimento da verdade.

2.1 – Amigos dos deleites e inimigos de Deus

2 Timóteo 3:4
4 traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, (ARC)

A continuação da extensa lista que caracteriza os homens de nossa geração inicia no versículo 4 com a palavra TRAIDORES.

A palavra que traduz o termo traidores neste texto é prodotes. Trata-se do mesmo termo utilizado para definir Judas Iscariotes, aquele que traiu a Jesus por 30 moedas de prata. Esta palavra tem o mesmo significado de delator.

Neste contexto, delatores são pessoas que descobrem outros e não são confiáveis. São informantes traiçoeiros.

Devemos considerar aqui, que naquela época, a igreja estava sob intensa perseguição e as delações eram corriqueiras. Tais traições tinha como propósitos granjear benefícios junto a Roma com finalidades de satisfazer os seus deleites.

Estes eram inimigos do reino e opositores a Deus.

2 Timóteo 4:14
14 Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. (ARC)

Hernandes Dias Lopes afirma que o apóstolo Paulo foi vítima de traição. Alexandre, o Latoeiro o delatou, culminando em sua segunda prisão e consequentemente em seu martírio.

Traidores são como víboras peçonhentas, lobos camuflados, disfarçados de ovelhas, prontos para devorarem.

Amigos dos deleites e inimigos de Deus são os ególatras. Estes vivem para saciar os seus desejos desenfreados. Estão em uma constante corrida pelo prazer imediato. São hedonistas, ou seja, aqueles que buscam os deleites da carne sem se preocupar com as consequências; ou ainda se tais práticas agradam ou não a Deus. Para o hedonista, o mais importante é sentir prazer, independente da fonte.

Há uma estatística que informa o seguinte: Os cristãos passam em média 25 horas por semana em frente a uma televisão e apenas 1 hora estudando a Bíblia na escola dominical.

Muitos dos que se dizem cristãos, dividem o culto com programações tais como: Ir a boates, clubes noturnos e casas de shows. As redes sociais assumiram papel de relevância na sociedade e a igreja está imersa nesta realidade. John Piper afirmou: “Uma das maiores utilidades do facebook e outras redes sociais, será para Deus provar que, naquele último dia, a falta de oração não era pela falta de tempo”.

O entretenimento tem assumido o papel principal na vida dos servos de Deus, caracterizando-os conforme Paulo anteviu – mais amigos dos deleites e inimigos de Deus.

Hans Burki decreta: “A raiz do problema dessas pessoas é que elas colocam a si mesmas e seus deleites acima de Deus”.

2.2 – Apenas aparência de piedade

2 Timóteo 3:5
5 tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. (ARC)

J.N.D. Kelly elucida o texto dizendo que esses apresentados por Paulo como tendo aparência de piedade, mas negando a sua eficácia, eram na verdade mestres do erro na igreja de Éfeso.

Sua acusação contra eles é mais do que uma simples hipocrisia. Eles faziam uma grande demonstração do cristianismo, porém a qualidade de vida desregrada que praticavam, os desmascaravam. A espiritualidade era maquiada. A piedade era aparente e sem qualquer eficácia.

Hans Burki destaca que aqueles que trazem a aparência de uma natureza temente a Deus, mas negam o seu poder, apegar-se-ão à forma da religião, mas se distanciarão do Senhor. É bem verdade que ainda preservam os costumes formais da religiosidade, mas não lhe concedem nenhuma influência sobre a sua vida.

Hernandes Dias Lopes acrescenta que a igreja atual cresce em números, mas não em compromisso, tem carisma, mas não caráter.
Trata-se de pessoas que frequentam igrejas, participam dos trabalhos desenvolvidos, cantam hinos espirituais, dizem amém as orações, depositam o seu dinheiro como oferta, mas não tem vida em si mesmas, pois não foram transformadas pelo poder de Deus.

A estes, Paulo afirma que vão de mal a pior, praticando o engano e sendo ludibriados pelo mesmo pecado.

2 Timóteo 3:13
13 Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. (ARC)

2.3 – Que sempre aprendem, mas desconhecem a verdade

2 Timóteo 3:7
7 que aprendem sempre e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. (ARC)

Estamos diante de um aparente paradoxo, pois como alguém pode aprender e nunca chegar ao conhecimento?

Paulo mais uma vez cita indiretamente os falsos mestres daquela igreja que não aprendiam nunca porque já possuíam uma falsa verdade arraigada no coração e contrária a Palavra de Deus. A expressão exterior falsificada era uma forma de disfarçar o interior enegrecido pelo erro. Para eles, ficar escondidos na sombra da aparência era fugir da luz que revela e condena as obras infrutuosas de um coração mal e pervertido.

João 3:19-20
19 E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
20 Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas. (ARC)

Sua vida cristã é falida e ainda não se sujeitam a correção, pois são indisciplinados.

Tais pessoas sempre estão em busca de novidades, modas e discussões vãs. Quando confrontados pela Palavra, rejeitam os seus argumentos ou os interpreta de forma a favorecê-los. Estudam, leem, mas o conhecimento adquirido permanece apenas na esfera do intelecto e não atinge o espírito, onde ocorre a transformação interior, o novo nascimento em Cristo.

João 3:5
5 Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. (ARC)

3 – RESPLANDECENDO EM MEIO A CORRUPÇÃO

Jesus chamou seus discípulos de luz do mundo…

Mateus 5:14a
14 Vós sois a luz do mundo… (ARC)

Como luz, somos convidados, mesmo diante do mundo sombrio, a levar a Palavra que ilumina as trevas e esclarece o homem acerca da verdade encontrada somente em Cristo. Devemos evidenciar essa veracidade a todos os homens, mesmo a essa geração tão avessa a Palavra de Deus.

3.1 – Permanecendo na sã doutrina

Se Paulo exorta a Timóteo a permanecer na sã doutrina, obviamente, existe uma doutrina doente, enferma pelas heresias.

Atualmente, tornou-se até certo ponto abundante em nosso meio, a manifestação de pessoas trazendo algo bem diferente do que aprendemos com nossos pais na fé. Movimentos e práticas duvidosas, curiosas, místicas (sentido pejorativo da palavra) e algumas até com ares de ocultismo, seções de hipnose, unção de riqueza ou prosperidade, de riso, do paletó voador, dentes de ouro; teologia da prosperidade, triunfalismo cristão, positivismo ou confissão positiva, lei da atração, judaísmo moderno e tantas outras. Tudo isso citado está acontecendo em nossos púlpitos sem que ninguém os admoeste.

Há um processo de normatização desses falsos movimentos e doutrinas em nossas igrejas; e enquanto isso acontece, o povo está atônito, inclusive lideranças; estão admirando e até apoiando o erro, o engano que tem trazido prejuízos a igreja do Senhor.

A resposta mais plausível, para ao menos tentarmos compreender tamanha passividade diante de tão grotescos erros, encontramos na própria Palavra de Deus.

Oséias 4:6
6 O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. (ARC)

Perceba que a causa principal pela qual Israel fora destruído no passado, se encontra na verdade de lhes ter faltado conhecimento. A lei do Senhor fora esquecida, seus ditames e preceitos abandonados, substituído por outros mais convenientes, mas que resultou no fracasso de toda uma nação.

A igreja está sendo consumida, enfraquecida em sua base que é a Palavra de Deus; Esta Palavra está sendo mesclada com tudo que já foi citado acima, e desta forma, essa geração tornou-se analfabeta do conhecimento de Deus, manifesto nas Escrituras; tornou-se raquítica espiritual por não combater os falsos ensinamentos e práticas que causam estranheza.

Mateus 22:29
29 Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. (ARC)

Vivemos tempos em que a igreja não conhece as escrituras e nem o poder de Deus. A ignorância em relação a Palavra, dá início a uma abundância de erros. Infelizmente nossa geração falha nesse aspecto e passa a aceitar tudo o que se apresenta na igreja, além do mais, confunde performance do pregador com poder de Deus.

Atos 17:10-11
10 E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Bereia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus.
11 Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. (ARC)

Os ilustres irmãos de Beréia eram seletivos quanto a tudo que ouviam, pois, as mensagens pregadas em suas sinagogas, passavam pelo filtro e o crivo da Palavra de Deus.

As escrituras devem prevalecer sobre tudo o que ocorre em nossos cultos. Ela é a carta magna de avaliação e aceitação de qualquer mensagem, estudo ou movimento que aconteça em nossas reuniões. Nem mesmo Paulo e Silas escaparam de tal avaliação, nem eles estavam acima das escrituras.

A sã doutrina liberta, salva, apresenta o caminho verdadeiro e correto, não se mistura com filosofias humanas, não se baseia em autoajuda, pois ela é a ajuda do alto para todos que nela se apoia.

3.2 – Fazendo valer a posição para a qual foi chamado

O único livro da Bíblia que possui início, mas ainda não teve o seu fim, é o livro de Atos. A história da igreja teve início no capítulo dois deste livro e desde então vem sendo contada por cada geração de cristãos.

Salmos 22:28
28 Porque o reino é do SENHOR, e ele domina entre as nações. (ARC)

Deus já determinou que o período da igreja (dispensação da graça) terá um fim, mesmo que pareça que não irá vencer, o seu fim será glorioso; mesmo que as trevas pareçam prevalecer, a luz exultará no desfecho final e a igreja triunfará.

Mateus 16:18
18 Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. (ARC)

2 Coríntios 2:14
14 E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento. (ARC)

O verdadeiro significado do termo “triunfo” vai muito além do simples significado que conhecemos, ou seja, alcançar sucesso. Para o renomado historiador bíblico Orlando Boyer, em sua Pequena Enciclopédia Bíblica, esta palavra tem uma aplicação mais ampla. Remete à entrada solene e pomposa de um general dos exércitos romanos, após ter alcançado uma vitória na guerra. Segundo ele, era assim:
“À frente do cortejo marchava todo o senado: em seguida iam trombetas, coros que precediam uma fila de carros carregados com os despojos do inimigo. Em seguida marchava um grupo de tocadores de flauta à frente de um touro branco, destinado ao sacrifico; viam-se depois as armas, estandartes e outros troféus tomados dos vencidos, os generais e os príncipes que tinham ficado prisioneiros, e, finalmente, todos os cativos carregados de ferros. Seguiam-se então os lictores, atrás dos quais avançava o general vitorioso, de pé, em um carro circular, puxado por quatro cavalos brancos”.

2 Coríntios 2:17
17 Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus. (ARC)

Nas várias batalhas travadas pela igreja através de sua longa história milenar, ela se valeu de pessoas destemidas, de ânimo pronto e preocupadas com os interesses do reino.

Em tempos de apostasias, desvios doutrinários e ações de demônios, é mister que a igreja continue alvoroçando o mundo com a mensagem da cruz, sem desistir, sem desanimar.

3.3 – Não se tornando insípido

Mateus 5:13a
13 Vós sois o sal da terra… (ARC)

Matthew Henry, defini que o evangelho é como o sal; penetrante, ligeiro, poderoso; alcança o coração. É purificador, agradável e nos preserva da deterioração.

Os discípulos de Cristo, após aprenderem a doutrina do evangelho, eram como o sal. Aptos a temperar a humanidade através de sua conduta de vida e assim aproximar os incrédulos e ímpios para perto de Deus.

Além de temperar, o sal ainda possui algumas propriedades curiosas.

É de pouco valor: O sal possui valor irrisório. Não existem disputas pelo sal e mesmo com valor inexpressivo é importante para temperar o alimento. Da mesma sorte, os filhos de Deus são tratados de modo indigno pela sociedade ímpia, porém é a igreja que suaviza o destempero deste mundo repleto de iniquidades;

Função de preservar: Quando não havia refrigeradores, a forma de se preservar um alimento para que o mesmo não viesse a apodrecer em poucas horas, era salgando. O mundo está morto em seus pecados e delitos e tudo que está morto cheira mal, mas a igreja está viva. Cristo nos vivificou e desta forma estamos preservados e conservados para servir a Deus e salgar o mundo;

Produz sede: Um pouco de sal produzirá secura e Jesus é a água da vida para saciar os sedentos deste mundo árido.

No entanto, caso o sal torna-se insipido, ou seja, caso o cristão esteja vazio de vida espiritual, sem sabor e nem vigor, de nada mais vale. O sal pode ser “remédio” para a carne sem sabor, mas não há remédio para o sal sem sabor, logo estará predestinado a ruína e será pisoteado por aqueles que passam pelo caminho.

CONCLUSÃO

Paulo faz o alerta quanto as dificuldades que a geração do final dos tempos atravessaria. Tal alarme não soou com a pretensão de que devêssemos temer ou desanimar diante de um futuro nebuloso, ao contrário, este é o tempo de redobrarmos nossa atenção a tudo que está a nossa volta, confiando em Deus e na força do seu poder. Não nos permitindo ficar enrascados pelas redes do pecado, mas antes combatendo-o; tendo a plena certeza de que a Palavra de Deus é suficiente para nos conduzir sempre junto do nosso Salvador Jesus.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

Bíblia Eletrônica Olive Tree – Versão Revista e Corrigida / Revista e Atualizada
Bíblia de Estudo Matthew Henry – Versão Revista e Corrigida – Central Gospel
Dicionário da língua portuguesa
I e II Timóteo e Tito – Série Cultura Bíblica – J.N.D. Kelly – Editora Vida Nova
2 Timóteo – Comentário Expositivo – Hernandes Dias Lopes – Editora Hagnos
Tu, porém, a mensagem de II Timóteo – John Stott – ABU Editora
Comentário Bíblico Expositivo Warren Wiersbe – Editora Central Gospel
Pequena Enciclopédia da Bíblia – Orlando Boyer – Editora Vida
Revista EBD – 3º Trimestre 2015 – Lição 9 – Ezequias Soares – CPAD
Site da internet mencionado quando citado no texto

Por: Cláudio Roberto


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada