Buscar esboços

Nossos Esboços

Betel Adultos – 1º Trimestre de 2017 – 05/03/2017 – Lição 10: A geração dos filhos de Issacar

03/03/2017

Este post é assinado por: Cláudio Roberto

TEXTO DE REFERÊNCIA

Gênesis 30:18
18 Então, disse Leia: Deus me tem dado o meu galardão, pois tenho dado minha serva ao meu marido. E chamou o seu nome Issacar. (ARC)
 
Gênesis 49:14-15
14 Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos.
15 E viu ele que o descanso era bom e que a terra era deliciosa, e abaixou o seu ombro para acarretar, e serviu debaixo de tributo. (ARC)
 
1 Crônicas 12:32
32 dos filhos de Issacar, destros na ciência dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer, duzentos de seus chefes e todos os seus irmãos, que seguiam a sua palavra; (ARC)

INTRODUÇÃO

Em Gênesis 49, o patriarca Jacó está na ante sala da morte. Jacó está apresentando o seu testamento.
Ele ajunta todos os seus filhos ao redor de si a fim de lavrar profeticamente o que haveria de acontecer a descendência de cada um deles.
Toda a compreensão sobre o desenrolar da história de cada tribo deve ser compreendida pelas palavras proféticas atribuídas a cada uma delas por intermédio de Jacó.

1 – ISSACAR, JUMENTO DE FORTES OSSOS

Em Gênesis 30, temos o relato dos filhos nascidos de Jacó conforme a tabela abaixo:

1T2017L10a

Manassés e Efraim, não constam na relação por não terem nascido de Jacó, mas de José. Posteriormente eles foram acrescentados como tribos de Israel em lugar de José e de Levi;

Issacar é o nono filho de Jacó em toda a linhagem que representa as tribos de Israel e também o quinto dado por Leia ao patriarca. Seu nome significa: “Galardão”.

Gênesis 49:15
15 E viu ele que o descanso era bom e que a terra era deliciosa, e abaixou o seu ombro para acarretar, e serviu debaixo de tributo. (ARC)

Issacar é comparado a um jumento. Este é um animal sem beleza exterior ou aparência expressiva, mas interiormente possui uma estrutura forte de muita resistência, capaz de suportar grandes cargas de peso e que trabalha incansavelmente.

As palavras que recaíram sobre Issacar estariam relacionada com a tarefa do trabalho. Os homens dessa tribo seriam fortes e produtivos, adequados ao trabalho e inclinados a ele, principalmente na labuta da lavoura, assim como o jumento, que carrega seu fardo com paciência e, acostumando-se a isso, facilita o trabalho.

Issacar se submeteu a dois fardos: A lavoura e o tributo.
Era uma tribo que se esforçava e, ao prosperar, era convocada a pagar alugueis e impostos pela terra que habitavam.

1.1 – Forte, mas prefere não lutar

Issacar é apresentado por Jacó como uma descendência que viveria de forma tranquila, calma, despreocupada e relaxadamente.
Como um jumento, Issacar não se esquivaria de qualquer trabalho árduo e o faria de modo fiel e engenhoso, mas tudo isso faria para poder deitar-se folgadamente assim que tudo fosse concluído.

Ao vislumbrarem a terra viram o quanto era boa, no entanto esta tribo nunca se esforçou por dominar os seus termos e apesar de Issacar ser comparado a um jumento de ossos fortes, este preferiu renunciar a sua força e servir com tributos os seus dominadores.

Issacar tinha tudo a mão para fazer-se grande, próspero e prevalecer sobre os seus inimigos na porção de sua terra, mas não o fez. Decidiram voluntariamente negligenciar a sua força em prol do sossego e da calmaria.

Issacar estava satisfeito e com o lucro do seu trabalho, pagava impostos para viver na terra que o Senhor lhe prometeu que daria. Veja o absurdo, a terra era deles e eles pagavam pela terra. Tudo isso porque não estavam dispostos a lutar por ela, apesar da sua robustez.

Há muitos entre nós que se rendem a essa comodidade. Aquele pouco que recebemos de Deus para darmos continuidade e alcançarmos o muito, torna-se a porção suficiente. Esquecendo-se que o Senhor tem muito mais a oferecer.

2 Timóteo 2:3
3 Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. (ARC)
 
Na Bíblia vamos encontrar algumas referências sobre armas e soldados que fazem alusão a carreira cristã que está permeada por combates. Ser cristão é sinônimo de ser combatente, guerreiro, lutador. As batalhas estão diante de nós e precisamos com ânimo pronto, serrar os dentes e na força do Senhor enfrentar os inimigos, certos que iremos predominar.

Crentes que não optam por lutar, são como Issacar, fadados ao fracasso e a serem escravos daquilo que os domina.

1.2 – Forte, mas gosta de descanso

Quando a terra foi repartida entre os filhos de Israel, Issacar foi a quarta tribo a receber a sua herança. Sua porção ficava situada no vale fértil de Israel. Ao avistar o seu quinhão eles se alegraram, pois tratava-se de um lugar de delícias conforme o relato de Moisés.

Deuteronômio 33:18b
18 E de Zebulom disse: Zebulom, alegra-te nas tuas saídas; e tu, Issacar, nas tuas tendas. (ARC)

1T2017L10b

Issacar se alegrou tanto com o que viu que decidiu não pelejar pela terra. Resolveram entre si que para eles, aquele lugar seria um lugar de descanso. Se apresentam como uma tribo que está interessada em folgar diante da terra que lhe foi concedida.

Folgados espirituais são aqueles que andam de carona na vida espiritual de outros. Dependem de orações de outros, de jejuns de outros, dependem da espiritualidade de outros, como se Deus não tivesse para dar a eles também.

Eles estão acomodados e são eternos infantes na fé. Tem tudo para ser mais do que são, mas preferem o descanso proporcionado pelo que já possuem.

Issacar moderno anda na superfície do espírito, mas não mergulha, caminha a margem do evangelho, mas não o cruza, vive daquilo que é exterior, mas não interiorizam a Palavra de Deus. Issacar moderno busca a benção de Deus, mas não se relaciona com o abençoador.

1.3 – Forte, mas prefere ser escravo

Aquela terra possuía outros moradores quando Israel chegou; os cananeus.

A tradição judaica diz que Abraão, Isaque e Jacó, havia comprado toda a terra de Canaã em suas peregrinações. O tempo no Egito (430 anos), foi suficiente para que os cananeus tomasse a terra como sua posse novamente. Assim quando Israel voltou para tomar a terra, eles fariam de forma justa e as lutas ocorreram porque os cananeus não quiseram entregar de bom grado. MAS LEMBRO, que tal argumentação é parte da tradição judaica e a Bíblia não menciona tal aquisição.

Os cananeus eram povo astuto e acostumado com a guerra. Não sairiam da terra tão facilmente.
Issacar precisaria desprender força para expulsá-los e força era o que tinha de mais notável, no entanto eles desconsideraram tal virtude e se propuseram a não lutar pela terra.

O caminho mais fácil então seria pagar tributos aqueles que estavam na terra antes deles. Desta forma Issacar aluga a sua porção de terra dos cananeus e não a conquista como fizeram os seus irmãos.

2 Coríntios 10:4
4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; (ARC)
 
Ser escravo é ser dominado por outro; é não ter liberdade mesmo estando dentro de um campo que seja seu.
Ainda que haja resistência do inimigo, somos fortes em Deus; estamos equipados com as armas ideais para devastar quaisquer adversários.

2 – OS PROBLEMAS DA GERAÇÃO DE ISSACAR

Romanos 15:4
4 Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança. (ARC)
 
A tribo de Issacar abdicou aquilo que lhe era próprio, isto é, o seu direito de possuir a terra, antes preferiu viver de forma inferior a de seus irmãos; optou ser escravo dos cananeus arrendando a terra para habitar.
Veremos a seguir algumas lições para as nossas vidas extraídas da história da geração de Issacar.

2.1 – Visão deturpada de si mesmo

Issacar tinha promessas de que era forte, seus ossos eram fortes. Ossos falam de estrutura e de sustentação. Issacar tinha estrutura para suportar ou sustentar muito peso, mas não enxergou essa verdade.

Efésios 4:1
1 Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, (ARC)
 
Issacar possuía lastro hereditário para se sobressair, se destacar, mas ao invés disso, entendeu que melhor seria para ele ser escravo. Nasceu para brilhar, mas preferiu ser opaco.

O ex-frei Leonardo Boff, transformou uma breve fábula em um livro. Trata-se da história de uma águia que foi criada como galinha. Ela havia sido ferida e um caçador achou aquele filhotinho e levou para casa. Como não tinha um aguieiro colocou-a no galinheiro e a águia foi criada desde filhote como se fosse um pintinho. Aprendeu a vida galinácea, aprendeu a ciscar, a comer minhoca, e foi se adaptando. Achava um pouco estranho porque não conseguia cacarejar como uma galinha, mas achou que era uma galinha e foi se conformando à vida de galinha. Essa é a fábula.

Um dia passou um sujeito ali e viu que aquilo não era uma galinha e perguntou: “o que você faz aqui? Ah, eu sou uma galinha. Não, você é uma águia. O seu tamanho, o seu porte, o seu bico, as suas garras, são de águia, você é uma águia. Não, eu sou uma galinha. Você não foi feito para um galinheiro mas para as alturas. Não, aqui está bom. Mas águia não vive disso, águia não come minhoca, o seu lugar é lá nas montanhas. Não, eu sou galinha. Você é uma águia.” Então o sujeito se indignou, passou a mão na galinha-águia e, diz a fábula, levou-a para o alto de uma montanha e jogou-a lá do alto. A “galinha” ficou apavorada, porque a galinha dá aquele voo curtinho, mas de repente, lá de dentro do seu instinto, que há milênios vem com a sua espécie, ela descobriu que não era uma galinha mas uma águia e em vez de cair como uma galinha cairia foi recuperar o seu instinto, a sua memória herdada e começou a bater as asas, descobriu que voar era bom, começou a fazer círculos, e foi-se embora, reencontrou a sua grandeza. Não era uma galinha, era uma águia.
http://www.isaltino.com.br/doctos/mensagens_transcritas/mens38.html

Romanos 8:15
15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. (ARC)
 
O servo de Deus, possui propósitos tanto divinos como eternos. Somos filhos de Deus e estamos assentados nas regiões celestiais com Ele. Temos uma herança na eternidade; muito em breve iremos nos apropriar de um lugar como habitantes que não será mais a terra, mas o próprio céu.

Como filhos de Deus, somos herdeiros das mais ricas promessas e Nele somos mais que vencedores. Esta verdade não pode ser embaçada por uma visão deturpada da real condição que agora desfrutamos em Deus.

2.2 – Falta de determinação

Há quem diga que se não existir sonhos não há futuro.

A determinação é a mola mestre que nos impulsiona a alcançar os nossos objetivos e se ela falhar, os sonhos não serão alcançados.

Faltou atitude para Issacar. Faltou mirar um alvo e acertá-lo.
Enquanto podia olhar para as fronteiras e ver seus irmãos prosperando e avançado nos propósitos divinos, Issacar se via estático, sem perspectiva, inerte em sua comodidade.

João 15:16
16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda. (ARC)
 
A nossa vocação é para sermos verdejantes, frutiferos, prósperos, crescentes, vitoriosos e triunfantes no Senhor.

Nossa vocação não é ficarmos assentados, mas sermos diligentes no trabalho, nos dispor para a obra diante de nós.

Todos temos virtudes. Deus dotou cada um de nós de algo especial e precisamos compreender para não vivermos uma vida sem significado. Ao invés de simplesmente passarmos pela vida, precisamos deixar um legado, seja em sua família, sua comunidade, sua congregação ou seja lá onde for, precisamos deixar um testamento positivo do que somos ou fomos.

Viver por viver não é uma boa opção para aqueles que se intitulam filhos de Deus. Ele sempre tem algo maior para nós.

2.3 – Preguiça

A comodidade de Issacar pode ser comparada a preguiça.

Perceba que a profecia estava dividida:

Gênesis 49:14-15
14 Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos.
15 E viu ele que o descanso era bom e que a terra era deliciosa, e abaixou o seu ombro para acarretar, e serviu debaixo de tributo. (ARC)
 
Issacar se escorou na parte B da promessa que fala do bom descanso na terra de delícias e o imposto pago pela terra.

As outras tribos sempre houveram homens que se destacaram no serviço, na obra ou qualquer evento, como por exemplo: Na tribo de Efraim temos Josué, Samuel; na tribo de Judá temos Calebe, Boaz, Davi; da tribo de Dã veio Sansão; da tribo de Manassés a Gideão; da tribo de Benjamin, o rei Saul; de Zebulom, o profeta Jonas e tantos outros nomes de destaque, mas de Issacar não surgia ninguém, até que Débora cita os principais de Issacar que subiu com ela contra Sísera.

Juízes 5:15
15 Também os principais de Issacar foram com Débora; e, como Issacar, assim também Baraque foi enviado a pé para o vale; nas correntes de Rúben foram grandes as resoluções do coração. (ARC)

Mesmo aqueles que estão em estado de inercia e apatia, podem ser despertados para uma vida de bençãos.
A tribo de Issacar tomaram partido na batalha contra Jabim, rei de Canaã, mesmo sabendo quão dura seria aquela peleja. Issacar não pestanejou, mas deu as mãos aos demais, se uniram como um só povo e demonstrou que a partir daquele dia as coisas seriam diferentes para aquela tribo.

Ao mínimo prenúncio de fé, Deus agirá em seu benefício. A fé continua sendo o combustível que movimenta a mão de Deus a nosso favor. A fé nos permiti triunfar sobre problemas impossíveis de ser vencidos de forma natural.

C.S. Lewis, certa feita disse: “Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários”.
Issacar estendeu a sua mão em um momento delicado para Israel e o Senhor atentou para aquele gesto fazendo cumprir a primeira parte do destino daquela tribo – Jumento de ossos fortes!

3 – UMA OUTRA GERAÇÃO DE ISSACAR

É atribuída a futura geração de Issacar, virtudes maravilhosas que está relacionado com o discernimento ou o entendimento dos sinais dos tempos para a compreensão dos últimos dias de uma geração, um ciclo e até da igreja. Tais virtudes estão em harmonia com a característica daquele que é espiritual.

1 Crônicas 12:32
32 dos filhos de Issacar, destros na ciência dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer, duzentos de seus chefes e todos os seus irmãos, que seguiam a sua palavra; (ARC)
 
1 Coríntios 2:15
15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. (ARC)

3.1 – Destros na ciência dos tempos

Como Issacar mudou!

Na ocasião em que Davi seria constituído rei sobre todo Israel, a tribo de Issacar recebe atributos de suma importância não somente para os dias de Davi, mas tais faculdades passam a ser notáveis para qualquer época.

Daniel 9:2
2 no ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falou o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de acabar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos. (ARC)
 
Daniel, lia o livro de Jeremias (Jr. 25.12; 29.10) e nele compreendeu o tempo que estava vivendo. Daniel teve o nítido entendimento que o tempo de cativeiro estava cumprido. A partir da compreensão, Daniel se pôs a buscar a Deus e o Senhor então descortinou a ele sinais ainda mais profundos acerca do tempo do fim.

Vivemos a era da informação, mas de informação na maioria das vezes fútil e sem propósitos relevantes. No emaranhado de conhecimentos e referências, existem importantes sinais que precisamos estar atentos. Sinais que concordam com a Palavra de Deus e que apontam para vinda de Jesus.

Note que a Palavra de Deus e os fatos ao seu redor foram suficientes para que Daniel compreendesse o seu tempo e a mesma Palavra e os fatos que acontecem são suficientes para compreendermos o nosso tempo.

Lucas 12:54-56
54 E dizia também à multidão: Quando vedes a nuvem que vem do ocidente, logo dizeis: Lá vem chuva; e assim sucede.
55 E, quando assopra o vento sul, dizeis: Haverá calma; e assim sucede.
56 Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis, então, discernir este tempo? (ARC)
 
A segunda vinda de Cristo é tão concreta quanto a sua primeira manifestação e abaixo relacionamos alguns sinais indeléveis da sua vinda:

     1. Catástrofes naturais (Lc 21.11);
     2. Guerras e revoluções (Lc 21.10);
     3. A multiplicação da ciência (Dn 12.4);
     4. O aumento do pecado (Mt 24.12);
     5. A propagação da nova era (Is 2.6);
     6. O renascimento de Israel em 1948 (Is 66.8);
     7. A eminência do governo mundial (Dn 7.23);
     8. A pregação do evangelho no mundo inteiro (Mt 24.14)

Assim como a tribo de Issacar sabia elucidar e esclarecer o seu tempo em Israel, a Igreja também deve estar alerta quanto a realidade da segunda vinda do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Devemos examinar os fatos e comparar com os sinais proféticos, conhecendo com exatidão o nosso tempo.

3.2 – Entendidos para instruir o reino e os súditos

Quem detém o conhecimento, está sempre a um passo a frente.
Com as virtudes dos filhos de Issacar de conhecerem a ciência dos tempos a disposição do rei, ele sempre levava vantagem sobre os inimigos.

O conhecimento dos tempos e a sabedoria do que deveriam fazer abrilhantavam as mentes dos filhos de Issacar.

Davi se valeu do conhecimento dos filhos de Issacar para tomar as suas decisões, mas nós contamos com o Espírito Santo para alumiar-nos a compreensão acerca de tudo que está a nossa volta, conhecendo não somente o tempo, mas aquele que é o Pai da Eternidade.

1 Coríntios 2:10-12
10 Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.
11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.
12 Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. (ARC)
 
3.3 – A sabedoria que influencia para o bem

É extremamente importante discernirmos o tempo das coisas em nossas vidas.
Salomão, o homem mais sábio que já existiu falou-nos sobre o tempo com muita propriedade:

1 Coríntios 2:10-12
10 Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.
11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.
12 Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. (ARC)
 
Primeiro ele diz que tudo tem um tempo determinado para que se cumpra algum propósito e depois diz que o coração daquele que é sábio identifica qual é esse tempo em que os propósitos se cumprirão e como se cumprirão.

Assim, é urgente que sejamos sóbrios e estejamos prontos para captar o tempo dos propósitos de Deus em nossas vidas.

Conhecer o tempo e saber o que fazer nele, nos coloca em outro nível em relação aos outros. É como se todos estivessem em uma caça ao tesouro e só quem tem o espírito de Deus, possui o mapa. A vantagem chega a ser desleal.

Por isso a sabedoria influencia para o bem, pois quando levamos outros ao conhecimento de Deus, eles também passam a ter o mapa que os conduzirá ao tesouro da eternidade.

CONCLUSÃO

A geração de Issacar nos ensinou que podemos ser seduzidos por um comodismo mortal se omitirmos o fato de que somos fortes em Cristo.
Issacar ainda nos deixa uma herança riquíssima de que devemos conhecer os sinais do nosso tempo e não sermos surpreendidos pelos fatos. O Espírito Santo é o nosso instrutor e aquele que nos ajuda a discernir e a interpretar os presságios das Escrituras e os acontecimentos dos nossos dias.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

Bíblia Eletrônica Olive Tree – Versão Revista e Corrigida / Revista e Atualizada;
Bíblia de Estudo Matthew Henry – Versão Revista e Corrigida;
Bíblia de Estudo Pentecostal – Versão Revista e Corrigida;
Dicionário da língua portuguesa;
Comentário Bíblico BEACON – Volume 1

Por Cláudio Roberto


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada